Categoria: TV APUFPR

protestos-contra-bolsonaro-e-o-racismo-marcaram-o-dia-da-consciencia-negra-1280x853.jpg
22 de novembro de 2021

No sábado (20), o Dia da Consciência Negra foi marcado por manifestações em mais de 100 cidades em todas as regiões do país, que uniram as demandas da luta antirracista e da valorização da cultura negra com a campanha Fora Bolsonaro, que vem ocupando as ruas do Brasil há alguns meses.

Confira aqui a galeria de fotos

Em Curitiba, o ato ocupou as ruínas São Francisco, no setor histórico do Largo da Ordem, com música, faixas e bandeiras, e contou com a participação da APUFPR.

Além da resistência negra, as pautas do ato também incluíam o impeachment de Bolsonaro, a defesa da educação defesa dos servidores e dos serviços públicos, e vacina para todos.

Confira o vídeo produzido pela APUFPR:

 

Fonte: APUFPR

reforma-administrativa-esta-sendo-barrada-pela-luta-e-voce-e-ou-pode-ser-parte-disso.png
11 de novembro de 2021

A Proposta de Emenda à Constituição 32/2020, a PEC da Reforma Administrativa, foi criada pelo governo de Jair Bolsonaro para demolir os principais pilares dos serviços públicos no Brasil.

Não, não é exagero. Sua proposta original dava superpoderes ao presidente da República, que teria poderes tiranos para extinguir órgãos e autarquias, inclusive as universidades federais, e extinguir carreiras inteiras com uma simples canetada.

O projeto é a maior iniciativa da história do país para tentar acabar com o funcionalismo e com os serviços públicos no Brasil, facilitando ao máximo a entrega de recursos para a iniciativa privada, atropelando direitos históricos dos servidores, como a estabilidade funcional. Tudo isso favoreceria a criação de um ambiente de medo e pressões, com estímulos ao assédio moral e sexual no trabalho, além de criar mecanismos para facilitar a ocupação de cargos por apadrinhados políticos sem concurso.

Apesar de contar com o apoio de diversos setores (como a velha mídia, empresários e políticos) ligados às camadas mais ricas da sociedade que estão ávidas para tomar para si os serviços públicos (ao menos a parte que consideram lucrativa), a grande resistência do funcionalismo e de outros setores da sociedade civil organizada está conseguindo, há mais de um ano, frear as intenções do governo.

 

O que fizemos até agora?

A APUFPR tem se mobilizado a partir de várias frentes para impedir a aprovação da Reforma Administrativa.

Temos ido para Brasília, para realizar pressão direta sobre lideranças do Congresso, inclusive da base do governo, mostrando os prejuízos que a Reforma traria para as universidades públicas e para todo o conjunto dos servidores, especialmente os docentes federais.

Durante este período, a APUFPR também atuou na organização de atos, articulou frentes de resistência junto a outras entidades sindicais, e realizou intenso debate contra a reforma, seja nas ruas ou nas redes digitais.

Compreendendo que a comunicação digital é uma ferramenta chave para barrar essa destruição, especialmente durante a pandemia de Covid-19, a APUFPR produziu campanhas e séries de vídeos sobre os perigos e os impactos da PEC 32, com o objetivo de alertar e mobilizar a categoria e a sociedade contra a proposta. Se você ainda não assistiu os conteúdos, ou gostaria de revê-los, acompanhe abaixo:

REFORMA ADMINISTRATIVA (#1) – O que não te contaram sobre o funcionalismo público no Brasil

REFORMA ADMINISTRATIVA (#2) – A quem serve a Reforma Administrativa?

REFORMA ADMINISTRATIVA (#3) – As novas formas de contratação

REFORMA ADMINISTRATIVA (#4) – O fim da estabilidade interessa aos corruptos e aos oportunistas

Lives:

Live Reforma Administrativa e a universidade pública

LIVE Reforma Administrativa: orçamento do Estado e serviço público

Série “Não é reforma, é destruição”:

Novas formas de contratação fragilizam o serviço público (e a população)

Reforma Administrativa será cruel também com os aposentados

Reforma Administrativa trará prejuízos para as universidades e para toda a população

Reforma Administrativa vai ampliar a corrupção no Brasil

Reforma Administrativa: mais espaço para setor privado, mais corrupção

Reforma Administrativa vai afetar (e muito!) os atuais servidores

Reforma Administrativa – Assédio moral e perseguições

Reforma Administrativa: Com apenas uma canetada será possível acabar com a universidade pública

Com a Reforma Administrativa até férias serão reduzidas dos professores

Reforma Administrativa vai acabar com concurso públicos para colocar apadrinhados políticos no lugar

Reforma Administrativa acaba com a estabilidade do servidor (que é uma proteção contra a corrupção)

Reforma Administrativa – A desestruturação da carreira dos professores

Reforma Administrativa e o fim da universidade pública para todos

A Reforma Administrativa não é reforma, É destruição

Reforma Administrativa e Democracia Universitária

 

O que você pode fazer quanto a isso?

Nossa força está na soma de todos os nossos esforços coletivos.

É por isso que cada docente tem um papel fundamental nessa disputa, seja pelo enfrentamento direto, inclusive em seus próprios espaços de atuação (virtual ou não), seja pela participação ativa e constante nas ações políticas desenvolvidas pela APUFPR.

É fundamental aproveitarmos a capacidade multiplicadora das redes sociais. Cada vez que você compartilha um conteúdo que produzimos, mais pessoas de outros círculos receberão esses materiais. É assim que conseguimos levar a voz da nossa categoria mais longe.

Mas para quando isso? Até que ela seja derrotada!

Apesar do esvaziamento de vários pontos do projeto que eram extremamente prejudiciais, ela pode ser votada a qualquer momento pela Câmara dos Deputados com trechos que ainda trariam inúmeros prejuízos para servidores e para o conjunto da sociedade.

Ela precisa ser barrada em sua integralidade. E isso só irá acontecer se mantivermos a pressão sobre os parlamentares para que a proposta seja rejeitada.

Por isso, indicamos o site abaixo, que facilita o envio de menagens para todos os 513 deputados e os 81 senadores brasileiros. Eles têm o poder de debater, votar e rejeitar a proposta!

https://napressao.org.br/campanha/diga-nao-a-reforma-administrativa

Pedimos que todos e todas façam o máximo de envios que puderem e lutem conosco nessa batalha!

Você também pode compartilhar os conteúdos da campanha “É público, é para todos”, que é a maior iniciativa da história do país em defesa dos servidores e dos serviços públicos do Brasil e conta com o apoio da APUFPR.

www.facebook.com/epublicoparatodos

www.instagram.com/epublicoparatodos

O governo não está poupando esforços para tentar aprovar a Reforma Administrativa e já se mostrou disposto a gastar mais de R$ 6 bilhões para comprar apoio de deputados.

Mesmo assim, muitos não estão se mostrando dispostos a aprovar um projeto tão impopular e arriscar sua reeleição em 2022. Isso significa que a pressão está funcionando e, portanto, precisamos aumentar as mobilizações.

O futuro da nossa universidade, da nossa carreira e dos serviços públicos depende disso. Qual caminho você vai escolher?

 

Fonte: APUFPR

em-curitiba-milhares-voltaram-as-ruas-no-sabado-2-contra-as-atrocidades-do-governo-bolsonaro.jpeg
4 de outubro de 2021

Sem precisar pagar para manifestantes comparecerem, sem usar dinheiro público, sem usar os canais oficiais do governo, sem apoio de ruralistas e empresários bilionários fretando ônibus e pagando hotéis, sem apoio de veículos de mídia reacionária, sem marcar com meses de antecipação e sem cometer nenhum crime contra a Constituição, multidões de pessoas voltaram às ruas no sábado (2) em Curitiba, em centenas de cidades de todos os estados do Brasil e em diversos países do mundo contra as atrocidades do presidente Jair Bolsonaro, cujo negacionismo anticientífico foi responsável pela imensa maioria das mais de 600 mil mortes por Covid-19 no país, e que vem implementando um governo de morte voltado exclusivamente para as camadas mais ricas da sociedade.

Os atos foram convocados por diversos setores da sociedade civil organizada, incluindo entidades sindicais, movimentos sociais e 23 partidos políticos (de todos os campos, desde a esquerda até a ‘direta democrática’ e liberais).

 

Fome, miséria, morte e destruição

Jair Bolsonaro e seu ministro da Economia, Paulo Gudes, (que deve ser investigado por manter empresas off-shore em paraísos ficais mesmo estando no governo, o que é proibido pela lei) conduzem uma política que está causando o esfacelamento da estrutura social e a economia do Brasil.

As escolhas do governo levaram milhões de famílias brasileiras à fome e à miséria. Hoje, pessoas fazem filas para ganhar restos de ossos porque não podem mais pagar pela carne e se arriscam cozinhando com álcool porque não podem pagar pelo gás de cozinha. A inflação em alta afeta a cesta básica, com recordes também dos preços dos combustíveis.

Com um congelamento salarial imposto pelos governos Temer e Bolsonaro, os professores federais também sofrem o impacto do aumento do custo e da redução da qualidade de vida e vive a instabilidade diante dos ataques e dos cortes na educação.

Enquanto o governo tenta sobreviver, entregando o comando do país e as chaves dos cofres públicos ao Centrão, tenta comprar apoio dos parlamentares para aprovar a Reforma Administrativa, com o objetivo de destruir os serviços públicos, as universidades e os nossos direitos, e segue espalhando fake news para tentar manter o apoio que ainda lhe resta nos setores mais radicalizados e violentos da sociedade (mas que cai a cada dia).

É preciso acabar urgentemente com essa política de mortes, mentiras, distorções e destruição que estão levando o Brasil para um abismo do qual terá muito dificuldades para sair.

A APUFPR e os professores da UFPR seguem lutando pela, pela universidade pública, pela ciência, pela Democracia e pelos direitos de todos.

 

Fonte: APUFPR

a-quem-serve-a-e-forma-administrativa.png
25 de agosto de 2021

Neste segundo episódio da nossa série sobre a Reforma Administrativa, mostramos que o governo mente sobre suas intenções, e que ela beneficiará apenas corruptos e oportunistas.

Conheça a série aqui:

 

Fonte: APUFPR

incendio-na-cinemateca-representa-aquilo-que-bolsonaro-quer-para-cultura-e-educacao-cinzas.png
4 de agosto de 2021

O incêndio que consumiu parte da Cinemateca Brasileira é simbólico daquilo que o governo Bolsonaro pretende para a cultura, a educação e a ciência: cinzas.

Assim como aconteceu há quase três anos com o Museu Nacional, os cortes de verba e o descaso com o patrimônio público trouxeram danos irrecuperáveis para a preservação de nossa cultura.

Enquanto a memória do nosso cinema ardia, um apagão de dados paralisava a plataforma Lattes. Assim como os nazistas queimavam os livros considerados ameaçadores, o governo de Jair Bolsonaro se vê ameaçado pelo pensamento livre e crítico no Brasil.

Mais uma “coincidência” entre eles…

Assista o vídeo e entenda:

thumb-24j-APUFPR.jpeg
26 de julho de 2021

🤝 Em memória dos mais de 550 mil mortos por Covid-19 no Brasil; e pela valorização da ciência, da educação e da vida, a APUFPR se uniu a milhares de pessoas nas ruas de Curitiba e de Matinhos, no último sábado (24), durante a mobilização nacional “Fora Bolsonaro” e “Vacina para todos”.

Protestos foram realizados em centenas de cidades no Brasil e no exterior.

👉 Organizado por diversos setores da sociedade, o ato pedia celeridade na campanha de vacinação (atrasada propositadamente pelo governo, que deu preferência a esquemas para superfaturamento na compra de imunizantes) e cobrou a responsabilização do presidente da República sobre a morte dos brasileiros, tanto pela postura negacionista adotada para prolongar a pandemia de Covid-19 como pelas denúncias de corrupção que envolvem sua gestão na administração da crise epidemiológica.

⚖️ O secretário-geral da APUFPR, Paulo Opuska, destacou a importância da mobilização popular para defender a Democracia no Brasil. “Mais uma vez, a APUFPR está participando dos atos Fora Bolsonaro, da defesa do Estado de Direito, da defesa da República e da defesa da Democracia, que está em risco, inclusive, com a possibilidade de um golpe militar”, ressaltou.

✊ Junto com a categoria docente, a APUFPR também protestou contra a Reforma Administrativa e os cortes que o atual governo vem aplicando à educação e à ciência.

 

Fonte: APUFPR


BOLETIM ELETRÔNICO


REDES SOCIAIS