Categoria: Notícias

a-reforma-administrativa-aumentara-os-gastos-publicos.png
2 de dezembro de 2021

A Reforma Administrativa aumentará os gastos públicos

É mentira do governo Bolsonaro que a Reforma Administrativa (PEC 32/2020) trará “economia de recursos” ao Estado.

Ela vai fazer justamente o contrário: aumentará os gastos. Um dos motivos será o uso das chamadas “funções de liderança e assessoramento”.

😣 Esses cargos serão ocupados por apadrinhados (sem concurso público, capacitação técnica e compromisso social), indicados por políticos oportunistas para cargos de chefia, gestão ou estratégicos, que hoje são ocupados, majoritariamente, por servidores de carreira (concursados).

🤯 Consequentemente, os governos terão mais custos, pois deverão pagar salários integrais, encargos e benefícios para cada apadrinhado, em vez de apenas acrescentar um valor adicional ao salário dos servidores de carreira pelo aumento de atribuições e responsabilidades, como é hoje.

😤 Como de praxe, o governo Bolsonaro mente para aprovar a Reforma Administrativa e conseguir apoio para transformar os serviços públicos em um imenso balcão de negócios.

#ServiçoPúblico #ÉPublico #ÉpraTodos #ValorizeOServidor #ReformaAdministrativaNão

mulheres-pelo-fora-bolsonaro-bolsonaro-nunca-mais.jpg
2 de dezembro de 2021

MULHERES PELO FORA BOLSONARO | BOLSONARO NUNCA MAIS!

A APUFPR, a Frente Feminista de Curitiba e RMC convida todas, todos e todes a estarem nas ruas conosco dia 04/12, compondo o ato Bolsonaro Nunca Mais!

No cenário de mais de 600 mil mortes devido à pandemia do covid-19, mulheres trabalhadoras (e, em especial, mulheres pretas trabalhadoras) são as que mais sofreram e sofrem com o aumento da fome, do preço dos alimentos básicos, do gás de cozinha, da gasolina e da violência policial que acompanha nosso dia-a-dia.

O cenário de miséria que temos vivenciado gerou, em todo país, uma série de mobilizações populares pela derrubada do governo Bolsonaro-Mourão.

Venha compor a luta conosco!

Fora Bolsonaro e Mourão!

 

Fonte: APUFPR

ciencia-tecnologia-fundo-pln.jpg
30 de novembro de 2021

Não é novidade que o atual governo vem tentando subjugar a produção científica brasileira por considerar que este é um campo onde nunca conseguirá amparo ao seu projeto de esfacelamento do tecido social, de intolerância e de desconstrução do Estado Democrático de Direito no Brasil, que vem aprofundando o abismo social que as ‘elites’ brasileiras insistem em ampliar.

Mas as interferências em dois dos principais órgãos de fomento à pesquisa e à ciência estão causando uma situação limite para o nosso país.

O corte de 87% do orçamento do Ministério de Ciência e Tecnologia afetaram sobremaneira o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), comprometendo o financiamento de importantes ações, como o Edital universal (da iniciação científica ao pós-doutorado) e o financiamento dos Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia.

Diante das severas críticas da comunidade acadêmica e científica brasileira, e dos mais diversos setores da sociedade, o governo chegou a afirmar que o Congresso poderia recompor o orçamento. Mas hoje (30) é o prazo limite para que o governo envie ao Congresso o PLN para restituir o orçamento do CNPq, por meio da liberação de créditos no orçamento. A prerrogativa é exclusiva da Presidência da República. Por seu histórico, Jair Bolsonaro não apresenta qualquer inclinação a tomar decisões para proteger a ciência nacional.

É fundamental que todas as entidades (locais e nacionais) do campo da educação, da ciência e da tecnologia, assim como todas aquelas comprometidas com a construção de um país mais justo e igualitário, aumentem a pressão para que o Executivo apresente o PLN para impedir que a pesquisa brasileira seja dizimada. Também é essencial que individualmente cada docente, estudante ou servidor técnico-administrativo também se engaje nessa luta, usando a hashtag #SOSCNPQ em suas redes sociais e fazendo comentários em páginas de parlamentares e dos órgãos do Governo Federal.

Outro órgão que vem sofrendo com a interferência direta do Governo Federal é a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), dirigida por uma gestão despreparada que, de um lado, mostra-se incoerente e altera parâmetros importantes sem consultar áreas técnicas e ainda coloca em risco as decisões anteriores de seu Conselho Técnico-Científico (CTC), e do outro lado é ineficaz e se demonstra inerte para defender a avaliação quadrienal para classificação e credenciamento dos cursos de mestrado e doutorado stricto sensu, que está sob judice.

A crise na agência culminou na saída, em 29 de novembro, com a renúncia coletiva de 52 pesquisadores por não conseguirem trabalhar seguindo critérios acadêmicos. Todos atuavam nas áreas de matemática, física e astronomia, na diretoria de avaliação do órgão, e afirmam que a direção da Capes privilegia a abertura de novos cursos em instituições privadas de ensino, em detrimento da avaliação dos programas já existentes.

As crises que o Governo Federal vem instaurando nos órgãos de fomento à produção científica nacional, motivadas por interesses políticos, ideológicos e/ou econômicos-financeiros amplia a instabilidade que afeta o Brasil há alguns anos e coloca em risco a valiosa contribuição de pesquisadores altamente qualificados para a ciência e para a educação, que são bases para qualquer país que tenha pretensão de caminhar rumo ao futuro.

r-6-bilhoes-para-comprar-apoio-a-reforma-administrativa-daria-para-construir-2-400-creches.png
30 de novembro de 2021

R$ 6 bilhões para comprar apoio à Reforma Administrativa? Daria para construir 2.400 creches

😰 Empenhado em agradar as elites e, ao mesmo tempo, fugir do impeachment, o presidente Jair Bolsonaro tenta aprovar a Reforma Administrativa (PEC 32/2020) utilizando a máquina governamental de formas inescrupulosas.

Em uma articulação entre o presidente da Câmara, deputado Arthur Lira (PP/AL), e o ministro da Economia, Paulo Guedes, o governo indicou que está disposto a desembolsar R$ 6 bilhões em emendas, em troca dos 308 votos que a Reforma necessita. 😮

Cada deputado ficaria com a bagatela de R$ 20 milhões em emendas não impositivas no Orçamento de 2022. Ou seja, poderiam gastar com mais liberdade, sem que sejam de interesse público. Apenas pensando em conquistar votos no ano que vem. ❗

😱 Além da PEC 32/2020 representar a destruição do serviço público, com os recursos que serão usados para comprar apoio dos deputados daria para construir 2.400 creches!

O governo Bolsonaro colocou preço na Reforma Administrativa, mas quem vai pagar a conta é o povo brasileiro! 😢

#ServiçoPúblico #ÉPublico #ÉpraTodos #ValorizeOServidor #ServiçoPúblicoéExcelência

alunos-e-professores-reivindicam-protocolos-para-o-retorno-as-aulas-presenciais.jpg
30 de novembro de 2021

Alunos e professores reivindicam protocolos para o retorno às aulas presenciais

Duas semanas após o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) da Universidade Federal do Paraná (UFPR) aprovar uma resolução que dá condições para o retorno letivo presencial em janeiro de 2022, acadêmicos e docentes da universidade estão receosos com a ausência de protocolos e normas de segurança sanitária, que ainda não foram divulgados pela instituição. Apesar disso, consideram o retorno fundamental para as atividades da universidade e o aguardam com entusiasmo.

Conforme a nova resolução do CEPE, a partir de 31 de janeiro de 2022 o ensino presencial na UFPR passa a ser regra, com ensino híbrido ou remoto em casos excepcionais, baseados na Instrução Normativa número 90, do governo federal, enquanto vigente – ou outra que a vier substituir.

A decisão para o retorno foi embasada na avaliação da Comissão de Enfrentamento e Prevenção à Covid-19 da UFPR, composta por cientistas de várias áreas que acompanham e analisam diariamente os dados da pandemia no Paraná e no Brasil desde março de 2020.

Confira aqui as instruções normativas.

De acordo com a vice-presidente APUFPR, o calendário letivo definitivo ainda está em discussão. Por enquanto, a comunidade acadêmica segue a grade publicada em agosto deste ano. Agora, as coordenações estão trabalhando para que até início de dezembro o calendário eletivo definitivo seja divulgado.

“É muito importante continuar as aulas [presencialmente]. A UFPR retoma o seu papel, sua função na sociedade, seu caráter presencial que sempre foi a história dessa universidade. Vai ser de grande expectativa após praticamente dois anos de ensino virtual”, afirma Andrea.

 

Professores: 

Na reunião em que foi apresentada a resolução do Conselho, foram ouvidos os posicionamentos da Associação dos Professores da Universidade Federal do Paraná (APUFPR) e do Diretório Central dos Estudantes (DCE), que elaboraram documentos com algumas exigências em relação à volta presencial das aulas.

Segundo a vice-presidente da APUFPR, Andrea Stinghen, um dia antes da aprovação das normas do CEPE, foram reunidos cerca de 240 docentes de forma virtual para discutir a situação do retorno às salas da universidade. “Alguns docentes ficaram receosos de voltar, mas a grande maioria aprovou a ideia, condicionando alguns cuidados por parte da administração da universidade.”

Andrea relata que embora os professores queiram retornar, ainda há uma preocupação sobre como isso será feito na prática. Por este motivo, foram elencados 14 itens julgados essenciais pela categoria para um retorno seguro. Entre eles estão a oferta de componentes curriculares em modalidade não presencial, a possibilidade de alguns profissionais desempenharem suas funções de maneira remota (como o caso de idosos ou pessoas com algum tipo de comorbidade) e a criação de um Comitê de Acompanhamento das Atividades Presenciais.

Confira aqui as reivindicações assembleia.

 

Alunos:

No dia 4 de maio de 2020, a UFPR suspendeu o ano letivo por tempo indeterminado por decisão do CEPE. Desde então, os alunos estão cursando períodos especiais através do Ensino Remoto Emergencial (ERE), que permitiu a matrícula do estudante em disciplinas obrigatórias ou optativas, todas ministradas de forma totalmente virtual.

“Quem está mais animado e ansioso, principalmente, são os calouros tanto de 2020 quanto de 2021, porque eles mal conheceram a universidade, mal tiveram a oportunidade de aproveitar a UFPR e tudo o que eles vivenciaram da universidade foi no ensino remoto.” Quem afirma é Bethania Ihlenfeldt, parte da Comissão Eleitoral do DCE da UFPR, que representa quase 30 mil estudantes.

De acordo com a acadêmica de Engenharia de Bioprocessos, a maioria dos alunos está aflita com as questões de segurança sanitária visto que ainda não há um protocolo formalizado pela universidade. “Conversamos com as instâncias superiores para saber como está todo esse planejamento para o retorno presencial. A princípio, a gente acredita que é uma melhora com certeza retomar a vida como era antes, digamos assim. Acho que dá um ânimo novo para o pessoal que está em casa há quase dois anos, é uma nova perspectiva”, relata.

Bethania conta que o DCE levou diversas reivindicações estudantis ao Conselho da universidade e que a resposta foi bastante positiva. “Estamos com uma perspectiva boa. As instâncias superiores se apresentaram bem abertos para nós e nossas demandas”.

De acordo com a universidade, as exigências da comunidade acadêmica serão atendidas quase em sua totalidade, principalmente no que se refere ao cumprimento das medidas de biossegurança, como a obrigatoriedade do uso de máscaras, a distribuição de máscaras gratuitamente para alunos em situação de vulnerabilidade socioeconômica, a disponibilização de álcool em gel, a higienização dos espaços, a testagem contínua e funcionamento integral dos Restaurantes Universitários e dos ônibus Intercampi.

 

Fonte: Site Plural.Jor – Reportagem sob orientação de João Frey e escrita por Maria Cecília Zarpelon.

pedro-bode-ufpr.jpg
28 de novembro de 2021

É com muito pesar que informamos o falecimento do professor Pedro Rodolfo Bodê de Moraes, do Departamento de Sociologia da UFPR.

Pedro Bodê (como era conhecido) era um dos maiores especialistas em estudos sobre violência e segurança pública no Brasil, e defensor ferrenho da democracia e da ciência. Atuava no Programa de Pós-Graduação em Sociologia (PPGSOCIO) e do Programa de Pós-Graduação em Direito, e era coordenador-geral do Centro de Estudos em Segurança Pública e Direitos Humanos (CESPDH) da nossa universidade.

Junto à OAB/PR, atuou em temas vinculados ao enfrentamento de violência contra a mulher e da criança e adolescente.

Atuou também como coordenador da Comissão Estadual da Verdade do Paraná e foi membro do Fórum Paranaense da Verdade, Memória e Justiça.

Expressamos aqui nossos sentimentos a todos seus amigos, colegas e familiares.

 

Velório: 10h às 16h

Capela da Reitoria UFPR

Rua XV de Novembro, 1299

(Acesso pela R. General Carneiro, 460)

 

Sepultamento: 17h

Cemitério Água Verde

Av. Água Verde, S/N – Água Verde, Curitiba – PR

 

samba-enredo-deixa-falar-apufpr.jpg
27 de novembro de 2021

Após participação da bateria na manifestação do dia 20 de novembro, e a feijoada no dia 21, em comemoração ao aniversário da escola de samba Deixa Falar, no dia 29 de novembro teremos mais uma atividade do Mês da Consciência Negra da APUFPR.

Faremos uma transmissão online (live), às 18 horas, para marcar o lançamento oficial do samba enredo da escola para o Carnaval de 2022, com a participação do diretor de carnaval da agremiação, João Marcelo Nunes Mariano.

Tematizando as influências africanas na cultura brasileira e a importância da consciência negra, o samba enredo chama-se “Eu sou o samba”, e será apresentado pela primeira vez nesta segunda, não perca!

 

Onde?

No Youtube: https://youtu.be/RB6-YjLQ2XM

No Facebook: https://www.facebook.com/105383346220289/posts/4586093738149205/

 

Confira aqui a letra do samba enredo:

 

CARNAVAL 2022

G.R.C.B.E.S. DEIXA FALAR

 

Compositores: Marcelo Nunes e Rapha SP.

 

Intérprete: Tony Pura Raiz

 

Ê SALVE BATUQUEIRO

ILUMINA O TERREIRO… DEIXA FALAR

SUA BENÇÃO MÃE BAIANA

O SAMBA ESTÁ NA RUA

SOU RESISTÊNCIA E NÃO VOU ME CURVAR

 

TRAGO NA PELE A COR

NA DANÇA A FELICIDADE

MEU BERÇO É O SOM DO TAMBOR

ÁFRICA NEGRA, ANCESTRALIDADE

NO MAR (OH NO MAR)

NAVEGUEI EM MEIO A ESCURIDÃO

SANGREI NUM TUMBEIRO DE LAMENTO

MEU RITUAL DE FÉ É ORAÇÃO

 

NA PRAÇA ONZE

BATUCADA DE MALANDRO

TIA CIATA VEM ABENÇOAR

ESSA HERANÇA É O MEU LEGADO, QUERO SAMBAR, SAMBAR SAMBAR

 

NO “MORRO” DE AMOR

ME VESTI DE “ALVA ADORAÇÃO”

ONDE O “SAMBA ENREDO” É CANTADO

NUM BREQUE FALADO

FIZ DO CARNAVAL MINHA RELIGIÃO

ABRACEI ZÉ PEREIRA

COMO UM MESTRE SALA APAIXONADO

CAÍ NO BAILADO DA PORTA BANDEIRA

DE ALMA LAVADA

CARREGO NA VEIA O GRENÁ

MINHA “GINGA” NÃO PODE PARAR

É “HISTÓRIA” QUE NÃO FINDA

“ESCOLA” TÃO LINDA DEIXA FALAR

 

Assista o clipe:

veja-como-colaborar-com-a-campanha-natal-sem-fome-em-palotina.jpg
26 de novembro de 2021

Veja como colaborar com a campanha Natal Sem Fome em Palotina

Em parceria com a ONG Ação da Cidadania, uma das mais ativas em ações de solidariedade e combate à insegurança alimentar, a APUFPR está participando novamente da construção da campanha Natal Sem Fome em 2021.

Além da possibilidade de doações por transferência bancária, também é possível colaborar presencialmente nos postos de coleta disponibilizados em Palotina (endereços abaixo).

A iniciativa dá continuidade ao compromisso da APUFPR de se engajar em ações de solidariedade e estreitamento de laços com a comunidade, como as realizadas recentemente em Jandaia do Sul e Palotina.

Segundo a Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional, atualmente são 19 milhões de brasileiros em situação de insegurança alimentar grave, ou seja, não têm garantida a sua próxima refeição. Precisamos do máximo de apoio e solidariedade para mitigar essa situação!

 

Confira os postos de coleta em Palotina

A arrecadação de contribuições financeiras e de cestas básicas ficará aberta entre os dias 26 de novembro e 14 de dezembro. Além da possibilidade de doação por transferência bancária, também há dois pontos de coleta em Palotina. Confira os endereços e o PIX, e divulgue para seus colegas, amigos e familiares!

 

APUFPR Palotina

Rua Pioneiro, 2074 – Jd. Dallas

Das 13h30 às 17h30

(41) 99824-0242

 

UFPR Setor Palotina

Rua Pioneiro, 2153 – Jd. Dallas

(45) 99985-4928

 

PIX para transferência bancária:

[email protected]

 

Campanha Natal Sem Fome

Diante da gravidade do avanço da fome no Brasil em 2021, graças à irresponsabilidade social, política, econômica e sanitária do Governo Federal comandando por Jair Bolsonaro, que vem causando uma crise humanitária no Brasil, a meta da Ação da Cidadania para o Natal Sem Fome deste ano é arrecadar R$ 30 milhões em todo o país.

Fundada pelo sociólogo Herbert de Souza, o Betinho, em 1993, a Ação da Cidadania organiza anualmente a campanha Natal Sem Fome em todas as regiões do Brasil.

Desde seu início, a campanha beneficiou mais de 32 milhões de pessoas.

 

Fonte: APUFPR

na-proxima-terca-30-teremos-live-com-zulu-araujo-ex-presidente-da-fundacao-palmares-e1638104717387.jpg
25 de novembro de 2021

Na próxima terça (30) teremos live com Zulu Araújo (ex-presidente da Fundação Palmares)

Encerrando o calendário de atividades de novembro, mês destacado para reforçar as lutas antirracistas no Brasil, a APUFPR promoverá uma atividade online na próxima terça-feira, dia 30, a partir das 15h, aberta a toda a comunidade, para debater a importância da comemoração do Dia da Consciência Negra.

Teremos a participação de Zulu Araújo, importante liderança do movimento negro no Brasil, para conversar sobre esse tema que, ainda hoje, enfrenta grandes resistências por parte de setores radicais da sociedade (e do governo de Jair Bolsonaro).

A transmissão será feita pelo Youtube e pelo Facebook da APUFPR.

 

Liderança

Entre 2007 e 2010, Zulu foi presidente da Fundação Palmares (primeira instituição pública voltada para promoção e preservação dos valores culturais, históricos, sociais e econômicos decorrentes da influência negra na formação da sociedade brasileira), indicado pelo então ministro da Cultura Gilberto Gil.

Antes, atuava como diretor de promoção, intercâmbio e divulgação de cultura afro-brasileira da Fundação.

Ele também foi diretor de cultura e conselheiro do Grupo Cultural Olodum por 10 anos; administrador e coordenador cultural da Praça do Reggae; assessor especial da Secretaria de Cultura da Bahia e da Fundação Cultural do Estado, coordenador-geral da celebração dos 300 anos de Zumbi dos Palmares e diretor-geral da Fundação Pedro Calmon (BA). Além disso, foi representante do Brasil na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.

Em 2007, quando a Fundação da Universidade Federal do Paraná (Funpar) publicou o livro “Paraná Negro”, Zulu estava frente à Fundação Palmares e foi um dos grandes incentivadores da publicação. A obra foi pioneira na compilação e resgate histórico da trajetória dos quilombos paranaenses.

 

Fundação Palmares, refém do extremismo

Desde o começo do governo Bolsonaro, a Fundação Palmares foi tomada pelo negacionismo. O atual presidente, Sérgio Camargo, vem provando que os interesses políticos-financeiros se sobrepõem a lutas históricas.

Em sua gestão, a Fundação vem se tornando um órgão acessório do governo para dar voz a confabulações histriônicas dos setores radicais que, vem vez de combater o racismo, o reforçam.

Em uma postagem em suas redes sociais, ele ironizou o Dia da Consciência Negra, ao qual adjetivou como “Dia da Vitimização do Negro”, “Dia da Mente Negra Escravizada pela Esquerda”, “Dia do Culto ao Ressentimento pelo Passado” e “Dia de Luta pela Divisão Racial do Povo”.

Por fim, ele chamou a data de “racista e segregadora” e que “deveria ser abolida”.

Não que as palavras dele tenham alguma representatividade, inclusive porque ele está afastado da gestão de pessoas da instituição por decisão da justiça, por assédio moral. Mas ele serve como uma ‘muleta política’ para que o restante do governo reafirme conceitos racistas.

Todos esses elementos mostram o quanto esse debate é fundamental para pensarmos o futuro do Brasil e os caminhos que precisamos trilhar para reforçarmos as lutas antirracistas.

 

Anote aí:

Live com Zulu Araújo: Dia da Consciência Negra

Data: 30 de novembro

Horário: 15h

Transmissão pelo Youtube e pelo Facebook da APUFPR

 

Fonte: APUFPR

natal-sem-fome-jandaia-e1637929979608.jpg
25 de novembro de 2021

 

Como parte de seu constante trabalho de solidariedade e estreitamento de laços com a comunidade, a APUFPR está novamente participando da construção da campanha Natal Sem Fome 2021, em parceria com a ONG Ação da Cidadania.

Além de lutar em defesa dos direitos dos docentes e da educação, tendo como horizonte a construção de um país mais justo e igualitário, acreditamos que podemos contribuir para amenizar problemas mais imediatos, especialmente no contexto de crise social, econômica, sanitária e humana pela qual passamos.

Segundo a Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional, atualmente 19 milhões de brasileiros vivem em situação de insegurança alimentar grave. Por isso, a APUFPR é parceira da campanha Natal Sem Fome e fará a coleta de doações em sua sede de Curitiba e nas sedes do interior.

 

Como contribuir em Jandaia

A arrecadação de contribuições financeiras e de cestas básicas acontece entre os dias 26 de novembro e 14 de dezembro. Haverá dois pontos de coleta em Jandaia do Sul, confira os endereços e o PIX:

APUFPR Jandaia do Sul

Rua José Francisco Borges, 1610 – Jardim Universitário

Das 13h30 às 17h30

(41) 99979-0271

UFPR Jandaia do Sul

Rua Dr. João Maximiano, 426, Jardim Universitário

PIX para transferência bancária:

apufprjandai[email protected]

 

Campanha Natal Sem Fome

A ONG Ação da Cidadania foi fundada pelo sociólogo Herbert de Souza, o Betinho, em 1993, e promove anualmente a campanha Natal Sem Fome em todo o Brasil. Cerca de 32 milhões de pessoas já foram beneficiadas durante esses anos.

Em 2021, a ONG quer atingir a meta de R$ 30 milhões em arrecadações por todo o país, e a APUFPR faz questão de somar forças nessa luta.

 

Fonte:APUFPR


BOLETIM ELETRÔNICO


REDES SOCIAIS