Categoria: Notícias

cadastros-para-envio-de-canecas-.jpg
25 de janeiro de 2023

Para iniciar 2023 em alto astral e com as energias renovadas para os desafios que virão, a APUFPR está enviando a suas filiadas e a seus filiados uma caneca de brinde.

Para que o envio seja concluído, é preciso que os docentes filiados atendam aos telefonemas da equipe do sindicato, pois é necessário confirmar o endereço e alguns poucos dados.

Alguns professores nos procuraram para confirmar se as ligações eram realmente da nossa equipe (uma preocupação compreensível, já que há muitos golpes sendo aplicados por meio de telefonemas de criminosos).

Por isso, estamos fazendo este comunicado para tranquilizar a categoria.

Dia-dos-aposentados-2023.jpg
24 de janeiro de 2023

24 de janeiro dia dos aposentados

A transmissão geracional do conhecimento é um dos bens mais preciosos que uma sociedade pode preservar. É também um dos pilares mais preciosos das nossas universidades públicas.

Por isso, homenageamos aqueles que se dedicaram a compartilhar, com várias gerações, formas diferentes de construir um mundo melhor.

governo-reverte-bloqueio-de-Bolsonaro-.jpg
23 de janeiro de 2023

Nem deu tempo dos bolsonaristas sapatearem. Enquanto máquina extremistas de desinformação espalhava que o novo governo havia bloqueado recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Ciência e Tecnologia (FNDCT), a ministra da Ciência, Tecnologia e Inovação, Luciana Santos, anunciou, em 17 de janeiro que, a partir do próximo mês, as verbas serão recompostas, revertendo os bloqueios implementados pelo governo de Jair Bolsonaro.

Ao sancionar a Lei Orçamentaria Anual (LOA) de 2023, o presidente Lula vetou recursos para o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Ciência e Tecnologia (FNDCT) porque havia um descumprimento da proporção entre operações reembolsáveis e não reembolsáveis, algo que é exigido pela legislação que regulamenta o FNDCT. Foi o estopim para as hordas bolsonaristas dispararem postagens em suas redes de contato para atacar o novo governo.

Só que o veto estava casado com as outras medidas para recompor o fundo, dessa vez dentro das exigências da legislação.

 

Reconstrução da pesquisa e da ciência

Luiz Inácio Lula da Silva assumiu a Presidência da República em 1º de janeiro com a missão de reverter o projeto de destruição das políticas públicas que vinha sendo implementado pelo governo de seu antecessor, Jair Bolsonaro (que fugiu para a Disney com medo de ser preso por seus crimes, principalmente por coordenar e incentivar ataques à Democracia e às instituições da República).

Aos poucos, os primeiros resultados começam a aparecer, como é o caso do orçamento da ciência e tecnologia, que precisa urgentemente ser reconstituído para o Brasil ser recolocado de volta em seu caminho de crescimento e combate às desigualdades.

A expectativa é que as políticas públicas de ciência e tecnologia terão cerca de R$ 10 bilhões de reais à disposição – boa parte destes recursos havia sido congelada por meio de uma Medida Provisória (MP) do ex-presidente Bolsonaro, que tratou todo o campo de produção do conhecimento como inimigo.

Segundo Luciana Santos, o novo governo costurou um acordo com o Congresso Nacional para permitir o desbloqueio das verbas do FNDCT, garantindo que aquela MP não fosse votada e, com isso, perdesse efeito.

 

Ciência como pilar do desenvolvimento

De acordo com a nova ministra, a recomposição dos recursos do FNDCT é uma “decisão política do governo do presidente Lula trabalhar para que a Ciência seja pilar do desenvolvimento em múltiplas dimensões”, como combate à fome, reindustrialização, construção de uma agenda climática e de transição energética e também de uma nação independente e soberana.

Pelo que se observa, o novo governo implementa uma guinada de 180 graus em relação às políticas de seu antecessor, que fustigou a educação e a ciência, e cortou cerca de R$ 100 bilhões do chamado orçamento do conhecimento, segundo o Observatório do Conhecimento, rede da qual a APUFPR faz parte.

 

CNPq com novo comando

As declarações de Luciana Santos sobre a recomposição do orçamento da pasta que dirige foram dadas em um momento também bastante simbólico: a posse de Ricardo Galvão como novo presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Responsável pelo fomento à pesquisa no país e subordinado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, o CNPq estava totalmente sucateado e desprestigiado pela gestão Bolsonaro.

Galvão tem trajetória reconhecida no campo científico, e ganhou notoriedade quando foi demitido da presidência do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) por Jair Bolsonaro. Após quatro anos á frente do órgão, Galvão foi afastado como represália por ter denunciado as mentiras de Bolsonaro em relação ao desmatamento na Amazônia.

Entre suas primeiras declarações no novo cargo, Galvão já apontou para a urgência na recomposição das verbas também do CNPq e da necessidade de reajuste nas bolsas de mestrado e doutorado, que não têm nenhuma correção em seu valor desde 2013.

congresso.jpg
18 de janeiro de 2023

Docentes sindicalizados e sindicalizadas e seções sindicais têm até sexta-feira (20) para enviar contribuições ao Anexo do Caderno de Textos do 41º Congresso do ANDES-SN, que será divulgado até o dia 27 de janeiro. O congresso acontecerá de 6 a 10 de fevereiro de 2023, na Universidade Federal do Acre (Ufac), em Rio Branco (AC).

 

Instância máxima de deliberação da categoria docente, o encontro terá como tema central “Em defesa da educação pública e pela garantia de todos os direitos da classe trabalhadora”. O evento está sob organização da Associação dos Docentes da Ufac (Adufac Seção Sindical).

 

As contribuições estão distribuídas entre os seguintes temas: Tema I – Conjuntura e Movimento Docente; Tema II – Planos de Lutas dos Setores; Tema III – Plano Geral de Lutas; e Tema IV – Questões Organizativas e Financeiras. O caderno de textos e seu anexo irão orientar os debates e deliberações do congresso.

 

O caderno de textos do 41º Congresso foi divulgado no dia 6 de janeiro e pode ser lido aqui.

 

Fonte: ANDES-SN

 

Governo-abre-dialogo-sobre-reajustes-salariais.jpg
16 de janeiro de 2023

Aclamado por centenas de milhares de pessoas em Brasília, Luiz Inácio Lula da Silva foi empossado para seu terceiro mandato presidencial em 1º de janeiro, em uma emocionante cerimônia que contou com a presença de diretores da APUFPR e de muitos docentes da UFPR.

Articulada a outros movimentos sociais e entidades sindicais nacionais como o ANDES-SN e o Fórum das Entidades Nacionais de Servidores Públicos Federais (Fonasefe), a APUFPR está agora trabalhando para que o funcionalismo público federal possa ter, já em 2023, uma recomposição salarial que aponte para o fim da desvalorização imposta nos últimos anos.

As movimentações e negociações começaram antes mesmo da posse oficial do novo governo, e têm sido conduzidas sobretudo pela nova ministra da Gestão e Inovação em Serviços Públicos, Esther Dweck, que anunciou a criação de uma mesa permanente de negociação com o funcionalismo federal.

Enquanto o governo Bolsonaro passou seus 4 anos sabotando os serviços públicos, negando qualquer tipo de reajuste salarial e atacando os servidores (quem não se lembra do termo “granada no bolso”, usado pelo ex-ministro Paulo Guedes ao comemorar maldades contra o funcionalismo federal?), o novo governo aponta para um caminho diferente: o do diálogo e da valorização.

A própria criação de um ministério para a gestão dos serviços públicos, desmembrado do Ministério da Economia, indica que os servidores não serão mais tratados apenas como números e despesas, como vinha ocorrendo no governo anterior.

Prioridades

Além da instalação da mesa de negociações, a ministra Esther Dweck sinalizou ainda, em entrevista, que o governo tem margem orçamentária para reajustes em 2023 e que esta definição deve ocorrer em breve.

O percentual de reajuste previsto no orçamento de 2023, elaborado ainda no governo de Jair Bolsonaro, não foi um negociado com o funcionalismo e é considerado insuficiente frente à desvalorização ocorrida durante toda a última gestão.

Nos quatro anos de governo Bolsonaro, não houve negociações sobre a pauta salarial e nenhum outro assunto em benefício dos serviços públicos e de seus servidores, que tiveram perdas salariais de 27% no período.

Outra pauta importante para os servidores públicos brasileiros é o arquivamento definitivo da PEC 32/2020 do governo Bolsonaro, que estabelecia a Reforma Administrativa. Barrado por causa da mobilização do funcionalismo e dos movimentos sociais, o projeto precisa ser definitivamente arquivado.

 

Fonte: APUFPR

 

ato-defesa-democracia-9jan2023-apufpr.jpg
9 de janeiro de 2023

Diante dos graves atentados de terroristas bolsonaristas no domingo (8), diversas entidades, partidos e setores da sociedade civil estão organizando atos em defesa da Democracia nesta segunda-feira (9) em várias cidades do país.

Em Curitiba, a manifestação está marcada para 18h, na Praça Santos Andrade.

Temos aqueles que defendem o Estado Democrático de Direito devem ter o compromisso de reforçar a defesa dos princípios constitucionais e disputar, em todos os espaços, os rumos do país.

Apesar da derrota eleitoral, o extremismo continua sendo estimulado e financiado no Brasil. Ontem mesmo, radicais bolsonaristas cercaram a Refinaria Getúlio Vargas, em Araucária-PR, para tentar impedir a saída dos caminhões-tanque que abastecem os postos de combustível do estado. Isso mostra que o objetivo dos terroristas é espalhar o caos para desestabilizar o Brasil, na tentativa de retomar o poder à força.

É preciso reagir e resistir. Contamos com a sua presença!

 

Fonte: APUFPR

terroristas-brasilsia-APUFPR.jpg
8 de janeiro de 2023

Agindo como verdadeiros terroristas, bolsonaristas atacaram prédios das instituições da República em Brasília neste domingo (8), na tentativa de desestabilizar o país para tentar retomar o poder à força.

Em nome de seu líder, que fugiu para a Disney, extremistas bolsonaristas ameaçam o Estado Democrático de Direito, com a leniência das autoridades do Distrito Federal (DF), especialmente do governador, Ibaneis Rocha, e do agora exonerado ex-secretário de segurança pública, Anderson Torres, que foi ministro do governo Bolsonaro e, coincidentemente (ou não), também está nos Estados Unidos, na mesma cidade (Orlando) que o ex-presidente.

Nosso país já demostrou, nas eleições de 2022, o desejo pela mudança, pela retomada do diálogo nacional e pela pacificação do país. Por outro lado, setores antidemocráticos, que vêm se negando a aceitar a vontade soberana do povo brasileiro, transformaram-se em verdadeiras organizações criminosas.

O que era apenas choro e birra na frente de quartéis se transformou em um perigo para o país. Mas o Brasil é muito maior do que eles e não vai se submeter aos ditames de extremistas e terroristas.

Diante desses fatos, a APUFPR repudia veementemente os atos extremistas deste domingo. Esperamos que os participantes e, principalmente, os organizadores e os financiadores dos movimentos terroristas, sejam identificados e punidos no limite da lei. Da mesma forma, aguardamos a responsabilização de todas autoridades e agentes públicos que foram negligentes com seus deveres e, por sua omissão ou anuência, colaboraram para que os terroristas avançassem contra as instituições na capital do país.

Há um abismo imenso entre o que pode ser considerado liberdade de expressão e os crimes cometidos por extremistas bolsonaristas neste dia.

Os ataques terroristas de hoje não foram contra um partido ou contra um governo, foram contra o Brasil.

Isso não pode ficar impune.

 

Diretoria da APUFPR

8 de janeiro de 2023

Fonte: APUFPR

 

incendio1-SISMUC.jpg
3 de janeiro de 2023

A Associação dos Professores da Universidade Federal do Paraná vem a público prestar sua solidariedade às dirigentes do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais Curitiba (SISMUC) Juliana Mildemberg (coordenadora-geral do sindicato) e Loide Ostrufka (secretaria-geral), que tiveram sua casa incendiada na madrugada desta terça-feira (3).

O fogo foi controlado pelo Corpo de Bombeiros e, felizmente, as dirigentes não estavam em casa na hora do crime (estavam viajando).

Segundo laudo dos bombeiros, livros, bandeiras, roupas e arquivos pessoais relacionados à luta das trabalhadoras e dos trabalhadores do município foram usados para atear o fogo. Por outro lado, os criminosos não levaram cartões de banco que estavam no local. São indícios de que o incêndio foi criminoso e que pode ter como causa motivações políticas e ideológicas.

A APUFPR espera que as autoridades façam uma apuração séria, e que os responsáveis sejam devidamente identificados e punidos no rigor lei. Além disso, esperamos que as reais motivações do crime sejam efetivamente esclarecidas.

APUFPR-Chamada-natal.jpg
12 de dezembro de 2022

Por causa das comemorações do final de ano, a APUFPR não terá expediente em suas sedes entre os dias 22 de dezembro e 8 de janeiro. Os atendimentos retornam no dia 9 de janeiro.

Após um ano de muitas lutas e muita resistência em defesa da universidade e da educação, participando ativamente na preservação da Democracia, os docentes terão um período de merecido descanso.

Desejamos que todos possam renovar as energias, para enfrentar as lutas que virão em 2023, especialmente para no árduo processo de reconstrução do nosso país.

 

Chácara

Quem ainda pretende reservar a Chácara da APUFPR para esse período em que o sindicato estará em recesso, precisa fazer o agendamento antes do dia 22 pelos telefones (41) 3151-9101 ou (41) 99956-7818.

 

Fonte: APUFPR

APUFPR-Assembleia-15-12.jpg
12 de dezembro de 2022

O 41º Congresso do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES-SN) será realizado de 6 a 10 de fevereiro, na cidade de Rio Branco (AC).

A reunião será presencial e terá como tema “Em defesa da educação pública e pela garantia de todos os direitos da classe trabalhadora”. O evento será sediado pela Associação dos Docentes da Universidade Federal do Acre (Adufac Seção Sindical). Esta será a primeira vez que a capital acreana receberá um congresso do ANDES-SN.

A eleição dos delegados da UFPR que irão ao Congresso será feita na Assembleia Geral Extraordinária quer será realizada, de forma remota, no dia 15 de dezembro (quinta-feira), com primeira chamada às 16h30 e segunda chamada às 17h.

 

Como participar da Assembleia?

A atividade será realizada pela plataforma Zoom, com inscrição prévia no link:

https://us02web.zoom.us/meeting/register/tZUvce-gqDsiH9MDLpnYulUoIAyiHkaI2Wjo

Você receberá a confirmação por e-mail, enviada diretamente pelo Zoom.
Quem não receber o link de acesso por e-mail ou tiver alguma dúvida ou dificuldade para participar na reunião deve entrar em contato pelo WhatsApp (41) 9981-7835.

 

 

Assembleia Geral Extraordinária dos docentes da UFPR

Data: 24 de fevereiro

Horário: Primeira chamada às 16h30 e segunda chamada às 17h

Plataforma: Zoom, inscrição pelo link:
https://us02web.zoom.us/meeting/register/tZUvce-gqDsiH9MDLpnYulUoIAyiHkaI2Wjo

 

Pauta

Informes;

Eleição de delegados(as) para o 41º Congresso do ANDES-SN;

Assuntos gerais.

 

Fonte: APUFPR


BOLETIM ELETRÔNICO


REDES SOCIAIS