Taxar grandes fortunas para salvar vidas (e não penalizar os servidores)

23 de abril de 2020
apufpr-taxar-grandes-fortunas.jpg

Desde seu início, o governo Bolsonaro faz de tudo para acabar com os direitos dos servidores públicos.

Aproveitando-se da tragédia mundial provocada pela pandemia do novo Coronavírus (que causa a Covid-19), o governo Bolsonaro insiste na tese de que é preciso congelar os salários dos servidores por, pelo menos, dois anos, para utilizar essa diferença de recursos no combate à crise. Tramitam também outras propostas de redução de jornada e de salários.

Contudo, é possível salvar vidas sem prejudicar os servidores e demais setores sociais, com uma alternativa mais eficaz: a taxação de grandes fortunas.

E não estamos nos referindo aos pretensos “ricos”, que compram carros que até custam centenas de milhares de Reais, mas pagam parcelas ou precisam vender outros bens, e nem daqueles que se esforçam diariamente para juntar recursos para fazer alguma viagem ao exterior vez ou outra. Há uma pequena parcela da sociedade que pode fazer tudo com frequência, abundância, e sem se preocupar tanto com contas no dia a dia.

Campanha #TaxarFortunasParaSalvarVidas

A iniciativa não é novidade pelo mundo: outros países já taxam fortunas para socorrer a população em situação de pobreza, com ausência de renda, trabalhadores informais e até a classe média.

O Brasil é o sétimo país com mais desigualdade do planeta. A chegada do Coronavírus apenas mostrou a urgência de praticarmos medidas pautadas em justiça tributária e responsabilidade do Estado. Segundo o IBGE, O rendimento dos 10% mais ricos foi 13 vezes maior que o dos 40% mais pobres. Entre 2017 e 2018, o rendimento dos 10% dos mais ricos teve alta de 4,1%, enquanto o dos 40% mais pobres sofreram queda de 0,8%.

A transferência de renda pode salvar vidas no país. Mas, para isso, o Governo precisa redefinir suas prioridades. Taxar os 0,3% mais ricos do país ajudaria a salvar a vida dos 70% mais pobres.

Participe da campanha #TaxarFortunasParaSalvarVidas e nos ajude a pressionar o governo Bolsonaro a salvar vidas (ou seja, fazer justamente o contrário do que o tem feito).

Como participar

  1. Assine o abaixo-assinado, clicando aqui.
  2. Divulgue o link da campanha (http://chng.it/Pyv9TnLZzc) para seus contatos. Reforce a urgência do tema em grupos do WhatsApp.
  3. Compartilhe em suas redes sociais e dialogue com o maior número de pessoas.

A campanha foi lançada na segunda-feira (13), pelos movimentos Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, com o apoio de todas as centrais sindicais do país (CUT, CTB, UGT, CSB, NCST, CGTB, CSP Conlutas, Força Sindical, Intersindical, e Intersindical Instrumento de Luta), de entidades do serviço público e de coletivos de auditores.

#TaxarFortunasParaSalvarVidas mostra aos nossos governantes que eles podem fazer o trabalho deles sem lesar os servidores públicos.

Para saber mais, acesse:

Materiais: https://rebrand.ly/nuvemtaxarfortunas

WhatsApp: https://rebrand.ly/taxarfortunas

Telegram: https://t.me/taxarfortunas

Fonte:APUFPR


BOLETIM ELETRÔNICO


REDES SOCIAIS