tamanho para siteO Conselho de Representantes da APUFPR-SSind (CRAPUFPR) realizou reunião ontem (23) para discutir um tema cercado de dúvidas e estigmas: a descriminalização do uso de drogas. O debate abordou os aspectos individuais e sociais de um eventual fim da proibição do consumo dessas substâncias.

O diálogo foi enriquecido pela apresentação dos convidados da noite – a presidente do Conselho Estadual de Políticas Públicas sobre Drogas do Paraná (CONESD), Diana de Lima e Silva, e o advogado André Feiges, membro da Comissão de Política de Drogas da seção paranaense da Ordem dos Advogados do Brasil (OABPR).

Debate

tamanho para site-3Feiges e Diana apresentaram dois pontos distintos sobre a temática: a defesa da descriminalização e a de que a legislação permaneça como está, mas que sejam criadas políticas públicas para conter danos relativos à dependência química.

“É um debate que vai além da mera liberdade individual. A nossa questão central é quantas pessoas têm morrido pela política bélica de combate às drogas. Morrem os policiais, morrem usuários, morrem pessoas que nem estão envolvidas nessa questão, e principalmente, morrem pobres. Não há tiroteio no Batel ou no Leblon”, explicou Feiges, que apresentou argumentos favoráveis à descriminalização.

A partir da apresentação de dados de diferentes entidades, os docentes que participaram do encontro puderam discutir a construção de encaminhamentos possíveis para que o uso excessivo de drogas não seja visto como um crime, mas como um problema de saúde que exige tratamento médico e acolhimento psicoemocional.tamanho para site-2

“Eu congratulo a APUFPR-SSind por promover essa discussão com os docentes. Os professores são peça fundamental nesse debate polêmico, já que trabalham diretamente com os jovens universitários, que são uma população diretamente afetada pela questão das drogas”, pontuou Diana.

Confira o vídeo:

 

Fonte: APUFPR-SSind