Assembleia na segunda (16) vai deliberar sobre a deflagração da greve da categoria

12 de maio de 2022
APUFPR-CHAMADA-ASSEMBLEIA-16-5_site.jpg

Atenção, docentes: seguindo encaminhamento do Setor das Ifes do ANDES-SN, a APUFPR está convocando para a próxima segunda-feira (16) uma Assembleia Geral Extraordinária para deliberar sobre a deflagração da greve da categoria a partir de 23 de maio.

A reunião será online, por meio da plataforma Zoom, com primeira chamada às 15h30 e segunda chamada às 16h.

As inscrições devem ser feitas no link a seguir:
https://us02web.zoom.us/meeting/register/tZEpc-qvqTgiGdQEDwVERDkPBUP-IpTva6qU

Um e-mail com o link de acesso será enviado diretamente pela plataforma Zoom. Quem não receber o e-mail de confirmação, pode entrar em contato com o WhatsApp (41) 98780-4845.

 

Encaminhamentos e reivindicações

A greve vem sendo debatida nas bases e nas instâncias do ANDES-SN. Na UFPR, um indicativo de greve foi aprovado em 17 de março, sem data determinada.

A reunião do Setor das Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes), realizada em Brasília (DF) no dia 22 de abril, pautou a construção da greve nacional unificada dos servidores públicos federais (SPF). Apesar dos relatos das dificuldades para aprovar ou manter indicativos de greve, foi aprovada, por 12 votos a 10, uma rodada de assembleias gerais, nas seções sindicais, até o dia 17 de maio, para deliberar sobre a construção de greve unificada, com deflagração para o dia 23 de maio. A próxima reunião do Setor das Ifes está prevista para o dia 18 de maio e avaliará o resultado das assembleias locais.

A pauta geral dos servidores públicos federais reivindica a recomposição salarial de 19,99%, índice referente às perdas acumuladas desde o início do governo Bolsonaro, de janeiro de 2019 a dezembro de 2021, conforme o Índice de Preços ao Consumidor Ampliado (IPCA/IBGE).

O conjunto de servidores públicos também pede a derrubada da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 32 (Reforma Administrativa) e a revogação da Emenda Constitucional 95, que impôs o teto dos gastos em áreas como saúde e educação.

 

Fonte: APUFPR


BOLETIM ELETRÔNICO


REDES SOCIAIS