Uruguaios marcham por verdade e justiça para os desaparecidos da ditadura

Milhares de pessoas ocuparam as ruas de Montevidéu, no Uruguai, para cobrar do governo informações sobre as mais de 200 pessoas desaparecidas durante a ditadura militar no país (1973-1985). A 23ª Marcha do Silêncio foi denominada “Impunidade. Responsabilidade do Estado. Ontem e Hoje”.

A manifestação contou com a presença de diversas personalidades do meio artístico, político e representantes do governo, como a vice-presidente do Uruguai Lucía Topolansky, o senador e ex-presidente José Mujica e o senador Rafael Michelini, filho de Zelmar Michelini.

Os parlamentares uruguaios Zelmar Michelini e Héctor Ruiz foram sequestrados e assassinados, em 20 de maio de 1976, em Buenos Aires (Argentina) junto com os militantes tupamaros Rosario Barredo e Wiliam Whitelaw.

Mais de 200 uruguaios seguem desaparecidos – vítimas da ditadura no país, iniciada com o golpe de Estado em 27 de junho de 1973 e que durou até 1985. Até o momento, daquelas que desapareceram nesse período, apenas 5 pessoas foram achadas e identificadas no Uruguai e 15 na Argentina.

* Com informações do El País e TeleSur

* Foto: Facebook/Javier Tassino Asteazu 

Fonte: ANDES-SN

Últimos posts



BOLETIM ELETRÔNICO


REDES SOCIAIS