Tag: LivenoYoutube

8m-apufpr-realiza-live-com-a-jornalista-teresa-cruvinel-brasil-247.png
4 de março de 2022

8M: APUFPR realiza live com a jornalista Teresa Cruvinel (Brasil 247)

Como parte das atividades do Dia Internacional da Mulher, em 8 de março a APUFPR realizará a live “Mulheres em cargos de poder”, com a participação da jornalista Teresa Cruvinel, colunista do portal e da TV Brasil 247. Ela é, hoje, uma das vozes femininas mais importantes para análise e crítica política no Brasil.

O evento será transmitido às 14h, pelas páginas do Facebook e Youtube do sindicato.

Quem é a nossa convidada?

Tereza Cruvinel atua no jornalismo político desde 1980. Já trabalhou para alguns dos principais veículos de comunicação do Brasil, como O Globo, Jornal do Brasil, Correio Braziliense, RedeTV, Globo News e outros. Em 2021, recebeu o Prêmio Comunique-se, um dos mais importantes do setor, como a melhor colunista de opinião do país.

Ela foi uma das fundadoras da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), da qual foi presidente entre 2007 e 2011. A estatal é constituída pela TV Brasil, TV Brasil Internacional, Agência Brasil e oito emissoras de rádio. Sua gestão foi marcante principalmente por ter garantido a independência editorial com que a empresa desenvolveu suas atividades jornalísticas e de produção de conteúdo.  Enfrentou também dificuldades justamente por disputas de poder e críticas de empresários do ramo da comunicação quando ousou abrir mais canais pelo Brasil.

No contexto brasileiro, o tema sobre as mulheres em cargos de poder ainda enfrenta resistências e tabus. Estudos mostram que, apesar das mulheres se prepararem mais através de pós-graduação e especializações, são os homens que ocupam a imensa maioria dos cargos de chefia.  No caso das estatais, o Relatório Agregado das Empresas Estatais Federais de 2020, mostrou que as mulheres ocupam 123 das 933 vagas existentes em cargos de chefia nas empresas controladas pela União.

Então anote aí:

*Live: Mulheres em cargos de poder*

Com a presença de Teresa Cruvinel (Brasil 247)

Quando: 8 de março, às 14h

Local: Facebook e Youtube da APUFPR

Fonte: APUFPR

na-proxima-terca-30-teremos-live-com-zulu-araujo-ex-presidente-da-fundacao-palmares-e1638104717387.jpg
25 de novembro de 2021

Na próxima terça (30) teremos live com Zulu Araújo (ex-presidente da Fundação Palmares)

Encerrando o calendário de atividades de novembro, mês destacado para reforçar as lutas antirracistas no Brasil, a APUFPR promoverá uma atividade online na próxima terça-feira, dia 30, a partir das 15h, aberta a toda a comunidade, para debater a importância da comemoração do Dia da Consciência Negra.

Teremos a participação de Zulu Araújo, importante liderança do movimento negro no Brasil, para conversar sobre esse tema que, ainda hoje, enfrenta grandes resistências por parte de setores radicais da sociedade (e do governo de Jair Bolsonaro).

A transmissão será feita pelo Youtube e pelo Facebook da APUFPR.

 

Liderança

Entre 2007 e 2010, Zulu foi presidente da Fundação Palmares (primeira instituição pública voltada para promoção e preservação dos valores culturais, históricos, sociais e econômicos decorrentes da influência negra na formação da sociedade brasileira), indicado pelo então ministro da Cultura Gilberto Gil.

Antes, atuava como diretor de promoção, intercâmbio e divulgação de cultura afro-brasileira da Fundação.

Ele também foi diretor de cultura e conselheiro do Grupo Cultural Olodum por 10 anos; administrador e coordenador cultural da Praça do Reggae; assessor especial da Secretaria de Cultura da Bahia e da Fundação Cultural do Estado, coordenador-geral da celebração dos 300 anos de Zumbi dos Palmares e diretor-geral da Fundação Pedro Calmon (BA). Além disso, foi representante do Brasil na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.

Em 2007, quando a Fundação da Universidade Federal do Paraná (Funpar) publicou o livro “Paraná Negro”, Zulu estava frente à Fundação Palmares e foi um dos grandes incentivadores da publicação. A obra foi pioneira na compilação e resgate histórico da trajetória dos quilombos paranaenses.

 

Fundação Palmares, refém do extremismo

Desde o começo do governo Bolsonaro, a Fundação Palmares foi tomada pelo negacionismo. O atual presidente, Sérgio Camargo, vem provando que os interesses políticos-financeiros se sobrepõem a lutas históricas.

Em sua gestão, a Fundação vem se tornando um órgão acessório do governo para dar voz a confabulações histriônicas dos setores radicais que, vem vez de combater o racismo, o reforçam.

Em uma postagem em suas redes sociais, ele ironizou o Dia da Consciência Negra, ao qual adjetivou como “Dia da Vitimização do Negro”, “Dia da Mente Negra Escravizada pela Esquerda”, “Dia do Culto ao Ressentimento pelo Passado” e “Dia de Luta pela Divisão Racial do Povo”.

Por fim, ele chamou a data de “racista e segregadora” e que “deveria ser abolida”.

Não que as palavras dele tenham alguma representatividade, inclusive porque ele está afastado da gestão de pessoas da instituição por decisão da justiça, por assédio moral. Mas ele serve como uma ‘muleta política’ para que o restante do governo reafirme conceitos racistas.

Todos esses elementos mostram o quanto esse debate é fundamental para pensarmos o futuro do Brasil e os caminhos que precisamos trilhar para reforçarmos as lutas antirracistas.

 

Anote aí:

Live com Zulu Araújo: Dia da Consciência Negra

Data: 30 de novembro

Horário: 15h

Transmissão pelo Youtube e pelo Facebook da APUFPR

 

Fonte: APUFPR

ciencia-e-politica-em-debate-no-vozes-da-ciencia-da-proxima-quinta-28-site-1280x1280.png
22 de outubro de 2021

Ciência e política em debate no Vozes da Ciência da próxima quinta (28)

Na quarta edição do programa Vozes da Ciência – iniciativa da APUFPR para valorizar a produção científica e o trabalho dos pesquisadores para o nosso país – conversaremos sobre a relação entre ciência e o debate político.

O convidado especial desta edição será Emerson Urizzi Cervi, professor do Departamento de Ciência Política e do programa de pós-graduação em Comunicação da UFPR.

Especialista nos temas comunicação política, eleições, comportamento eleitoral e opinião pública, Cervi é coordenador do grupo de pesquisa Comunicação Política e Opinião Pública (CPOP), criado em 2000 com o objetivo principal de desenvolver pesquisas de comunicação política e opinião pública, formar novos pesquisadores e produzir informações sobre campanhas eleitorais.

O programa terá transmissão ao vivo na quinta-feira (28) a partir das 19h, pelas redes sociais da APUFPR, onde posteriormente ficará salvo para quem não puder acompanhar.

 

No Facebook, clique na estrela para receber a notificação ou, no YouTube, clique no sininho para receber o lembrete.

 

Confira também as edições anteriores do Vozes da Ciência clicando nos links a seguir:

– Episódio #3 – Pesquisa e Humanidades. Convidada: Maria Isabel Limongi

– Episódio #2 – Mulheres na Ciência e Multicampia. Convidada: Rita de Cássia dos Anjos

– Episódio #1 – A pesquisa no Brasil. Convidado: Marcelo M. S. Lima

Fonte: APUFPR

Live-da-APUFPR-na-segunda-8-debate-os-desafios-da-multicampia-na-UFPR.jpeg
15 de outubro de 2021

 

A APUFPR convida seus filiados e filiados, assim como toda a comunidade acadêmica, para uma conversa sobre multicampia na próxima segunda-feira (18), às 19h.

Nosso convidado é Renato Bochicchio, Diretor da Diretoria de Desenvolvimento e Integração dos Campi da UFPR (INTEGRA/UFPR), órgão responsável pela descentralização dos campis em diversos pontos do estado, considerando a sustentabilidade e as necessidades específicas de cada região.

A proposta da APUFPR é discutir com a comunidade acadêmica os desafios atuais da multicampia considerando, principalmente, os sucessivos cortes de gastos e o sucateamento progressivo das universidades federais.

A atividade é mais uma oportunidade de reflexão, formação e debate para a nossa categoria. A transmissão ocorrerá simultaneamente pelo Facebook e pelo Youtube da APUFPR.

Participe, traga seus questionamentos e suas contribuições, e convide seus colegas.

 

Fonte: APUFPR

live-da-apufpr-recebe-pedro-hallal-epidemiologista-perseguido-por-bolsonaro-por-mostrar-que-poderiamos-ter-evitado-centenas-de-milhares-de-mortes-na-pandemia.png
5 de outubro de 2021

Dando continuidade à organização de debates sobre temas que impactam a realidade brasileira atual, a APUFPR organizará mais uma live no dia 13 de outubro com o tema “Universidade e Pandemia”. Teremos como convidado especial um dos principais especialistas na pandemia de Covid-19 no Brasil, o epidemiologista Pedro Hallal, ex-reitor da UFPel e coordenador da Epicovid-19, um dos estudos mais completos sobre os impactos da doença aqui no Brasil.

A transmissão começa às 19h no Facebook (clique na estrelinha para ativar o lembrete) e no YouTube (clique no sininho para receber o lembrete) da APUFPR.

Teremos também a participação do docente Emanuel Maltempi de Souza, do Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular, que é presidente da Comissão de Enfrentamento e Prevenção à Covid-19 da UFPR e um dos pesquisadores responsáveis pela vacina que está sendo desenvolvida pela nossa Universidade. A mediação será feita pela professora e pesquisadora Andréa Stinghen, vice-presidente da APUFPR.

 

Perseguição

Professor da Escola Superior de Educação Física e dos programas de pós-graduação em Educação Física e Epidemiologia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), onde foi reitor entre 2017 e 2020 (o mais jovem a dirigir uma instituição de ensino superior federal no Brasil), Pedro Rodrigues Curi Hallal é colunista da Folha de S.Paulo e editor-chefe do Journal of Physical Activity and Health.

Hallal vem sendo perseguido pelo presidente Jair Bolsonaro e por sua base extremista por causa dos resultados reveladores do Epicovid-19, que mostrou que 4 a cada 5 mortes por Covid-19 poderiam ter sido evitadas se o Brasil tivesse mantido a média mundial, mas que isso só teria acontecido se o governo brasileiro tivesse agido completamente diferente na condução da pandemia.

Em seu depoimento durante sessão da CPI do Genocídio (CPI da Pandemia) no Senado, Hallal mostrou que poderíamos ter evitado centenas de milhares de mortes se houvesse rastreamento e testagem em massa, se o governo não tivesse atrasado a aquisição e desestimulado a vacinação, se não tivesse desestimulado o uso de máscara, se não tivesse adotado a abordagem clínica no lugar da abordagem epidemiológica, além da ausência de liderança do Ministério da Saúde e, principalmente, a falta de uma comunicação unificada – que estimulasse o uso de máscaras, isolamento e proteção, por exemplo.

Por ter criticado Jair Bolsonaro durante uma live na UFPel, Hallal foi novamente perseguido pelo governo e pela Controladoria Geral da União (CGU) – estimulada por um deputado federal bolsonarista (Bilbo Nunes, que gosta de alugar BMW de uma empresa que pertence a um assessor presidencial).

As perseguições a Hallal foram peças importante no levantamento dos casos de perseguição do governo de Jair Bolsonaro contra críticos e opositores, e que depois culminaram no Projeto de Lei (PL) 2.108/2021 que enterrou a Lei de Segurança Nacional (LSN, um entulho da ditadura que voltou a ser usado por Bolsonaro). O PL foi fruto de outro projeto que estava parado desde 1991, e incluiu na legislação crimes contra o Estado Democrático de Direito.

Quer saber mais sobre a atuação dos nossos convidados e conversar sobre o papel das universidades públicas nesse cenário atual? Então anote na sua agenda a nossa live do dia 13 de outubro e participe! Sua contribuição será muito importante!

 

Fonte: APUFPR

Live-da-APUFPR-na-quarta-22-discute-conjuntura-com-economista-Cid-Cordeiro-Silva-1.png
21 de setembro de 2021

Live da APUFPR na quarta (22) discute conjuntura com economista Cid Cordeiro Silva

Dando continuidade às nossas atividades online de debate e formação política durante a pandemia de Covid-19, a APUFPR organizará uma live sobre a conjuntura política e econômica atual do Brasil, na próxima quarta-feira (22).

A transmissão começa às 19h no Facebook (clique na estrelinha para receber a notificação) e no YouTube (clique no sininho para ativar o lembrete) da APUFPR.

Nosso convidado especial será o economista Cid Cordeiro Silva, que é assessor de entidades sindicais e especialista na construção de indicadores econômicos que possam apoiar as negociações entre sindicatos e entidades patronais, tendo estudado medidas econômicas e informação desde os anos 1980.

O Brasil vive seu pior momento político e econômico desde o final da ditadura. Nosso país comandado por um presidente que gasta seu tempo atacando qualquer pessoa ou instituição que discorde dele, projetando formas de destruir os serviços públicos e os direitos dos trabalhadores, planejando o desmonte da educação, da saúde e de outras áreas essenciais, entregando o patrimônio nacional e os recursos do país para as castas já abastadas (do Brasil e do exterior) e fazendo nosso país passar vergonha diante do mundo.

Ao mesmo tempo, ele estimula ódio em seus seguidores e organiza um imenso esquema de disseminação de fake news para tentar manter-se no poder a qualquer custo (e também evitar a sua própria prisão e a de seus filhos políticos por diversos tipos de crimes que eles cometeram).

Entender o momento em que estamos é fundamental para podermos traçar os caminhos do futuro. Por isso, participe da live, convide colegas e amigos.

 

Fonte: APUPR

Pesquisa-e-Humanidades-sera-tema-do-proximo-Vozes-da-Ciencia-na-quinta-16-1280x720.png
13 de setembro de 2021

O programa Vozes da Ciência, criado pela APUFPR para debater o valioso papel dos pesquisadores brasileiros e a importância da produção científica para a sociedade, chega ao seu terceiro episódio com o tema “Pesquisa e Humanidades”. Desta vez, nosso bate-papo será com Maria Isabel Limongi, professora titular na UFPR e pesquisadora CNPq. Ela é graduada, mestre e doutora em Filosofia pela USP e atua na linha de pesquisa sobre o pensamento político moderno. A atividade será transmitida ao vivo na quinta-feira (16) pelas redes sociais da APUFPR, a partir das 19h. Na nossa página do Facebook, clique na estrela para receber a notificação. Em nosso canal do YouTube, clique no sininho para receber o lembrete. Participe e não perca nenhum episódio! *Ciência sob ameaça* A ciência brasileira vive um de seus momentos mais difíceis. Não bastassem os severos cortes de recursos federais, que derrubaram o orçamento do setor para o menor patamar deste século, e o corte de bolsas, que colocaram em risco parte considerável dos projetos em andamento, o presidente Jair Bolsonaro, os membros de seu governo e seus apoiadores extremistas adotaram um discurso negacionista que tem, como uma de suas bases, a restrição ao pensamento científico. A área de Humanidades, particularmente, vem sendo atacada e perseguida pelos setores extremistas, que enxergam nela uma antítese à sua existência (que é inversamente proporcional a tudo aquilo que é “humano”). É preciso reverter este quadro e buscar o apoio da sociedade. Não é tarefa fácil, dado o grau de contaminação que se alastrou por diversos segmentos da população que criticam, atacam e ameaçam as universidades públicas (justo as instituições que são responsáveis por 99% da produção científica nacional). E esse é justamente um dos objetivos do programa Vozes da Ciência. Por isso, participe, comente, faça perguntas, e compartilhe para que mais pessoas sejam alcançadas por esse debate.

O programa Vozes da Ciência, criado pela APUFPR para debater o valioso papel dos pesquisadores brasileiros e a importância da produção científica para a sociedade, chega ao seu terceiro episódio com o tema “Pesquisa e Humanidades”.

Desta vez, nosso bate-papo será com Maria Isabel Limongi, professora titular na UFPR e pesquisadora CNPq. Ela é graduada, mestre e doutora em Filosofia pela USP e atua na linha de pesquisa sobre o pensamento político moderno.

A atividade será transmitida ao vivo na quinta-feira (16) pelas redes sociais da APUFPR, a partir das 19h. Na nossa página do Facebook, clique na estrela para receber a notificação. Em nosso canal do YouTube, clique no sininho para receber o lembrete.

Participe e não perca nenhum episódio!

 

Ciência sob ameaça

A ciência brasileira vive um de seus momentos mais difíceis. Não bastassem os severos cortes de recursos federais, que derrubaram o orçamento do setor para o menor patamar deste século, e o corte de bolsas, que colocaram em risco parte considerável dos projetos em andamento, o presidente Jair Bolsonaro, os membros de seu governo e seus apoiadores extremistas adotaram um discurso negacionista que tem, como uma de suas bases, a restrição ao pensamento científico.

A área de Humanidades, particularmente, vem sendo atacada e perseguida pelos setores extremistas, que enxergam nela uma antítese à sua existência (que é inversamente proporcional a tudo aquilo que é “humano”).

É preciso reverter este quadro e buscar o apoio da sociedade. Não é tarefa fácil, dado o grau de contaminação que se alastrou por diversos segmentos da população que criticam, atacam e ameaçam as universidades públicas (justo as instituições que são responsáveis por 99% da produção científica nacional).

E esse é justamente um dos objetivos do programa Vozes da Ciência. Por isso, participe, comente, faça perguntas, e compartilhe para que mais pessoas sejam alcançadas por esse debate.

Fonte: APUFPR

a-pesquisa-vai-levantar-informacoes-sobre-a-realidade-e-as-condicoes-de-vida-dessa-populacao-em-todo-o-pais..jpg
30 de agosto de 2021

Brasil terá pesquisa inédita para mapear o perfil sócio-demográfico das lébicas e sapatão

A pesquisa vai levantar informações sobre a realidade e as condições de vida dessa população em todo o país

Com o objetivo de recolher informações e subsidiar a formulação de políticas públicas específicas para a população de lésbicas e sapatão, o I LesboCenso Nacional terá seu lançamento para a mesma data em que se comemora o Dia Nacional da Visibilidade Lésbica, 29 de agosto.

A data foi escolhida para marcar e dar visibilidade para este que é o primeiro mapeamento nacional de lésbicas e sapatão do Brasil. O questionário pretende coletar informações sobre trabalho, educação, saúde, relacionamentos, relações familiares e redes de apoio que as lésbicas e sapatão possuem nas diversas regiões do país. As voluntárias também poderão escolher participar da segunda etapa da pesquisa, composta por uma entrevista online com as pesquisadoras.

A iniciativa busca alterar o cenário de subnotificações de crimes, violação de direitos e da falta de políticas públicas específicas para lésbicas e sapatão. Segundo dados publicados no Dossiê do Lesbocídio, foram mapeados 126 assassinatos de lésbicas, entre os anos de 2014 a 2017, motivadas pela lesbofobia, mas pode haver subnotificação. O lesbocídio é a morte de lésbicas e sapatão por motivo de lesbofobia ou ódio, repulsa e discriminação contra a existência lésbica. Com esse mapeamento, será possível estimar a prevalência das violências e da lesbofobia em relação a esse segmento da população.

O I LesboCenso Nacional é produzido por integrantes da Liga Brasileira de Lésbicas – LBL e da Associação Lésbica Feminista de Brasília – Coturno de Vênus. Em 2018/2019, a Coturno de Vênus realizou um mapeamento de lésbicas no Distrito Federal, iniciativa também inédita. O formulário com as questões estará disponível online a partir do dia 29/08/21 pelo site: www.lesbocenso.com.br e é aberto para resposta de todas as lésbicas e sapatão, maiores de 18 anos, residentes no Brasil. As interessadas em contribuir com a pesquisa podem fazê-lo até o final do mês de março de 2022.

O Lançamento oficial do I° LesboCenso Nacional será dia 29/08/21 às 15h
pelo YouTube do LesboCenso:

Serviço:
I LesboCenso Nacional – Mapeamento de Lésbicas
Data de lançamento do questionário: 29 de agosto de 2021.
Email: [email protected]
Instagram: @lesbocenso

Contato:
Léo Ribas – 41 996588612
Lelia de Castro – 61 – 982543699

 

Fonte: APUFPR

Live-no-dia-30-debate-planejamento-participativo-e-projeto-de-gestao-da-APUFPR.jpg
26 de agosto de 2021

Live no dia 30 debate planejamento participativo e projeto de gestão da APUFPR

Um dos compromissos da atual gestão da APUFPR é a construção participativa de um projeto de gestão que incorpore as reivindicações e as lutas junto com os docentes.

Para entender e debater as melhores formas de se consolidar essa participação, promoveremos na segunda-feira (30) a live “Planejamento Participativo: a construção de um projeto de gestão. Por quê? Para quê?”.

A transmissão começa às 19h no Facebook (clique em receber lembrete) e no YouTube (clique no sininho para ativar o lembrete) da APUFPR.

Nessa atividade conversaremos sobre o planejamento participativo como ferramenta organizativa e como instrumento direcionador da complexidade das lutas democráticas, buscando consolidar e aprimorar a atuação da APUFPR e dos professores da UFPR diante dos enormes desafios que temos pela frente.

 

Convidados

Como debatedores, participarão da live o filósofo e escritor Danilo Gandin, mestre em educação, professor aposentado da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), e Valdo Cavallet, doutor em Educação e professor do Setor Litoral da UFPR.

Especialista em planejamento como prática educativa, Danilo Gandin é autor de diversos livros, como A prática do pensamento participativo, Soluções de planejamento para uma prática estratégica e participativa e Planejamento na sala de aula.

Já Valdo Cavallet tem amplo conhecimento sobre a UFPR, onde leciona desde 1979, e longa experiência acadêmica, incluindo pesquisas sobre metodologia do ensino superior, alternativas para uma nova educação, interdisciplinaridade e também sobre projetos educacionais inclusivos.

 

Planejamento participativo

O debate se debruçará sobre os melhores métodos para organizarmos a luta dos docentes e da APUFPR de forma mais democrática.

Conhecendo nossa realidade institucional poderemos ter um bom diagnóstico coletivo de nossos problemas, necessidades e objetivos.

Como explicado por Gandin em seus textos, o planejamento participativo busca responder três questões: O que se quer alcançar? Quais são as nossas necessidades? O que deverá ser feito para diminuir a distância entre o que se pretende alcançar e a realidade atual?

A partir dessa metodologia, pode ser traçado um conjunto de ações para resolver as necessidades elencadas, incorporando também ideias e estratégias para aperfeiçoar o processo de participação.

Marque na sua agenda e participe, venha trocar ideias com nossos convidados.

Fonte: APUFPR

APUFPR-participa-do-programa-quarta-sindica-que-tera-edicao-especial-contra-a-PEC-32.jpeg
17 de agosto de 2021

APUFPR participa do programa Quarta Sindical, que terá edição especial contra a PEC 32

Quarta-feira (18) será o dia da Greve Nacional em defesa do serviço público e contra a Reforma Administrativa do governo de Jair Bolsonaro. Na esteira das manifestações e paralisações, o programa Quarta Sindical terá uma edição especial, a partir das 11h30.

Os convidados dessa edição serão Marlei Fernandes, coordenadora do Fórum de Entidades Sindicais (FES) e vice-presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), e o presidente da APUFPR, Paulinho Vieira Neto.

O Quarta Sindical é um programa semanal promovido pelo Brasil de Fato Paraná no Facebook e retransmitido por dezenas de outros sindicatos e federações.

Para reforçar as mobilizações do serviço público, as centrais sindicais também estão convocando para esta quarta-feira um Dia Nacional de Lutas contra outros ataques à classe trabalhadora promovidos por Bolsonaro e setores oportunistas, como a privatização da Eletrobras e dos Correios, a Medida Provisória 1045 (que promove uma mini Reforma Trabalhista), o desemprego e a fome no país, entre outras bandeiras.

Assista ao programa especial no dia 18. Faremos a transmissão também pela nossa página de Facebook.

 

Fonte: APUFPR


BOLETIM ELETRÔNICO


REDES SOCIAIS