Reforma Administrativa afeta servidores atuais e futuros mas quem perde é a população

4 de novembro de 2020
apufpr_camapanha_reforma_administrativa-afeta-servidores-e1607535887185.jpg

Uma das maiores mentiras que o governo conta (e a velha mídia reproduz) sobre a Reforma Administrativa é que apenas futuros servidores sofreriam os efeitos.

Na verdade, a bomba vai cair no colo de todos.

Quem ingressar após a Reforma sofrerá sérios impactos, com carreiras desestruturadas, salários achatados, quase todos sem estabilidade, e muitos direitos excluídos.

Mas os atuais servidores também ficarão fragilizados. O projeto prevê que governos poderão aprovar simples leis ordinárias para determinar as regras de demissão por “insuficiência de desempenho”. Essas normas seriam convenientemente alinhadas aos interesses particulares dos políticos.

Com isso, perseguição política, religiosa, pessoal; vingança, retaliação (contra que denuncia irregularidades, por exemplo) serão suficientes para governantes (principalmente os corruptos) demitirem servidores.

Além disso, servidores poderão ser demitidos já após o julgamento de segunda instância (atualmente, isso só acontece quando não há mais possibilidade de recursos, como no STF).

Outra mudança: a legislação atual determina que a maioria dos cargos comissionados sejam ocupados por pessoas da carreira. A Reforma acabará com esse limite e permitirá o amplo loteamento de cargos para pessoas de fora.

Tudo isso servirá para aumentar a corrupção e o clientelismo.

Rejeitar a Reforma Administrativa é garantir um serviço público equilibrado e isento. Longe das garras dos políticos corruptos.

 

 

#ReformaAdministrativaNão #ServiçoPúblico #ValorizeOServidor #DocenteDizNãoàReforma

 

 

Fonte: APUFPR


BOLETIM ELETRÔNICO


REDES SOCIAIS