Privatizar praias e escolas públicas: extremistas enriquecem com discursos moralistas

7 de junho de 2024
privatização-das-praias-fascistas-oportunistas-apufpr (1)
Privatizar praias e escolas públicas: extremistas enriquecem com discursos moralistas
Privatizar praias e escolas públicas: extremistas enriquecem com discursos moralistas

 

Uma das estratégias mais frequentes da extrema-direita é inundar a sociedade com debates improdutivos sobre questões moralistas, desviando a atenção de temas realmente relevantes, que afetam a população. 

Mais do que componentes ideológicos, via de regra, suas intenções são carregadas de interesses individuais, geralmente com o objetivo de enriquecimento.

Acima de tudo, são oportunistas. Enquanto criam factóides e espalham fake news para ganhar seguidores e, posteriormente, votos, estão trabalhando para obter lucro de outra forma: com projetos de interesse próprio que beneficiam certos grupos econômicos e financeiros que os patrocinam ou que serão seus parceiros na hora de faturar posteriormente.

 

Privatização das escolas públicas: o caso do Paraná

Um exemplo claro disso é a privatização das escolas públicas da rede paranaense de educação, um projeto do governador de extrema-direita Ratinho Jr, cujas gestões são marcadas por medidas que têm como finalidade transferir dinheiro e recursos do estado para empresários. 

Basta observar o aumento das isenções de impostos concedidas a grandes empresas e ao agronegócio, que passou de R$ 10 bilhões em seu primeiro ano de governo para R$ 20 bilhões em 2024.

Até mesmo a militarização das escolas públicas no Paraná deveria ser investigada. Nesta semana, os principais jornais do país revelaram que um suplente de deputado federal pelo PL (partido de extrema-direita do ex-presidente inelegível Jair Bolsonaro) no Distrito Federal (DF) é dono de uma empresa que vem faturando milhões fazendo lobby junto às prefeituras para incentivar a adoção do modelo cívico-militar. Hipocritamente, o político, que é capitão do exército, vende a ideia como forma de combater “ideologia” nas escolas. Ele sabe que é mentira, mas cola, porque extremistas de todo o país repetem exaustivamente essa mesma ladainha.

A privatização da gestão das escolas públicas, aprovada pela Assembleia Legislativa do Paraná sem qualquer debate com a população, também deve ser objeto de alerta, não só pelo potencial estrago à educação pública, mas pelas ligações políticas e financeiras das empresas que assumirão a gestão das unidades (caso suas respectivas comunidades aceitem).  

 

Privatização das praias: exclusão e degradação ambiental

Em paralelo a todos esses absurdos, os oportunistas de direita e de extrema-direita no Congresso Nacional estão tentando aprovar a privatização das praias brasileiras. Este é um dos maiores exemplos do processo de exclusão que os ricos tentam impor à população já excluída da maioria da vida social. 

Além de propagar a ideia de que praia não é lugar para pobre, mas sim para gigantescos e poluentes resorts, mesmo que isso comprometa o meio ambiente, dão um recado muito claro à sociedade: pobre não tem direito a lazer. 

Ganância acima de tudo. Dinheiro acima de todos. 

Não por coincidência, até um famoso jogador em declínio, que apoiou Jair Bolsonaro nas eleições de 2022, espera lucrar com isso, já que pretende implementar dezenas de empreendimentos em praias nordestinas.

 

A verdadeira face do moralismo

Eles já agiam assim com o lobby pela liberação indiscriminada e descontrolada das armas, atuando como garotos-propaganda para a indústria armamentista. Fazem isso em relação a projetos que ajudarão a destruir o meio ambiente, da mesma foram que sempre tentam aprovar medidas para retirar direitos dos trabalhadores e da população.

É preciso investigar essas relações espúrias. 

Quando extremistas vomitam hipocrisias moralistas, estão apenas usando o discurso para enriquecer ainda mais. 

Afinal, nunca é tarde para lembrar do ex-ministro da Educação do governo Bolsonaro que ganho o cargo fazendo discursos moralistas contra as universidades e a educação pública, mas foi preso em um esquema de propinas, pagas em barras de ouro.

 

O duplo ganho: votos e dinheiro

Se, com tudo isso, os extremistas receberem votos nas próximas eleições, para eles é um ganho duplo, pois continuarão atuando para benefício próprio e de seus parceiros comerciais. 

A sociedade precisa estar atenta a esses movimentos e compreender que as verdadeiras intenções por trás de muitos desses projetos são basicamente financeiras, destinadas a enriquecer uma minoria às custas do bem-estar coletivo.

 

Desviar o foco, sempre

A estratégia de desviar o foco com debates moralistas, enquanto aprovam medidas que beneficiam seus próprios interesses financeiros, é uma tática recorrente da extrema-direita. Seja privatizando escolas ou praias, o objetivo final é sempre o lucro, às custas da qualidade de vida e dos direitos da população. 

A APUFPR alerta para que a sociedade permaneça vigilante e consciente dessas manobras, para que possa resistir a esse projeto de destruição dos serviços públicos e lutar por um país mais justo e igualitário, com educação pública de qualidade em todos os níveis.

 

Fonte: Apufpr


BOLETIM ELETRÔNICO


REDES SOCIAIS