Notícias Sindicais2019-02-17T23:58:29+00:00
CAMPANHA
Mentiras e Verdades Future-se

Na realidade, há poucas demonstrações de interesse do setor privado brasileiro em investir na produção científica, em especial nas universidades federais. Também não há indicativos de que os meios de captação anunciados pelo programa – fundos imobiliários, patrimoniais, naming rights – arrecadarão recursos substanciais. Tais recursos, inclusive, não são concretos: o Future-se não apresenta nenhuma garantia sobre o montante a ser transferido da iniciativa privada para as instituições de ensino. Enquanto é vago na descrição da prometida reestruturação financeira universitária, o programa se apressa em transformar a educação em mercadoria por meio de organizações cujo único objetivo é o lucro. O Future-se parece muito bom para ser verdade. E não é: nem bom, nem VERDADE. Fonte: APUFPR ...

LUTA
O feriado da Independência foi dia de luta foi pela autonomia das universidades

Organizado pela União Nacional dos Estudantes (UNE), o Tsunami da Educação tomou as ruas do país contra o desmonte das Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes) no feriado de 7 de setembro. Em Curitiba, o ato foi realizado na praça Santos Andrade. O protesto foi uma resposta de estudantes, docentes, técnicos e outros setores da sociedade aos sucessivos cortes orçamentários impostos pelo Ministério da Educação (MEC) às universidades e institutos federais. Sem estrutura, algumas instituições, entre elas a UFPR, correm o risco de suspender as atividades ainda no segundo semestre deste ano. O feriado era o da Independência, mas a luta foi pela autonomia. Por isso, os manifestantes também repudiaram o Future-se, que prevê o repasse da administração das Ifes à iniciativa privada. O programa representa a subordinação da pesquisa acadêmica à lógica mercantil e, por isso, desconsidera o compromisso público da ciência produzida nas universidades federais. Além disso, o Future-se fere frontalmente a ...

DEFESA DA EDUCAÇÃO
Assembleia Comunitária vai debater no dia 17 o risco de fechamento da UFPR

A Universidade Federal do Paraná (UFPR) está passando pelo momento mais drástico em seus mais de 100 anos de história. Os cortes orçamentários do governo Bolsonaro estão levando a instituição a uma situação limite: sem recursos para custear despesas básicas (segurança, limpeza e outros serviços), a UFPR pode ter que fechar suas portas muito em breve. As dificuldades que a instituição enfrenta não é novidade. Mas esse risco nunca foi tão real como é hoje. Por isso, a comunidade vai se reunir em uma Assembleia Comunitária no dia 17 de setembro, às 9 horas no Pátio da Reitoria. Não bastaram os ataques e a violência simbólica estimulada pelo próprio Governo Federal, as avalanches de fake news que circularam (e ainda circulam) pelas redes sociais e aplicativos de mensagens, criadas para jogar a opinião pública contra docentes, técnicos e estudantes das universidades federais e os cortes de bolsas para pesquisa, o estrangulamento orçamentário está levando ...

NOTA
Nota de repúdio do Sinjutra às mentiras sobre a justiça do trabalho e à objetificação do corpo das mulheres

O SINJUTRA lança, com total indignação, esta Nota de Repúdio, contra um determinado grupo, (que não iremos divulgar o nome para não fazer mais propaganda ao mesmo), que fez circular falsas informações acerca da Justiça do Trabalho, veiculando conteúdo mentiroso sobre esta Justiça Especializada. Enquanto tal grupo, sem qualquer fundamentação, tentou vincular a diminuição dos impostos sobre os combustíveis ao fim da estabilidade dos(as) servidores(as) públicos(as), pediu a demissão de todos(as) juízes(as), promotores(as), auditores(as) do trabalho, propôs fechar a Justiça do Trabalho, acusou a referida Justiça de matar o emprego e encarecer a comida e a passagem, e concluiu que, houve o empobrecimento dos(as) trabalhadores(as) e o enriquecimento de juízes(as), por culpa desta mencionada Justiça. Não há qualquer base lógica para tantos disparates e mentiras. A Justiça do Trabalho é uma Justiça com forte conotação social e é a garantia constitucional da regulação jurídica dentro do mercado de trabalho, com seus princípios ...

ASSEMBLEIA
URGENTE: Assembleia vai deliberar greve de 48 horas

Situações urgentes pedem medidas urgentes: greve de 48 horas se aproxima; todos os professores da Universidade Federal do Paraná (UFPR) estão convocados. Enquanto as Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes), seus docentes e demais servidores não forem respeitados, mais uma greve nacional da educação se fará necessária. Seguindo indicação do Setor das Ifes do ANDES-SN, em reunião realizada nos dias 24 e 25 de agosto, a APUFPR convoca a todos os docentes, ativos e aposentados da UFPR, para a Assembleia Geral Permanente dos Professores da UFPR na próxima terça-feira (10), para deliberar sobre a Greve Nacional da Educação de 48 horas. A proposta do Setor das Ifes é que a greve se inicie com um dia de universidade de portas abertas, seguido de 48 horas de paralisação: terça-feira (17) e quarta-feira (18). Outros pontos importantes estão na pauta, como o Future-se e os cortes nos orçamentos nas universidades federais e na pesquisa científica. As universidades federais e a categoria ...

CAMPANHA
Mentiras e Verdades Future-se

Ao lado da Emenda 95 (que limitou o investimento em áreas essenciais) e dos cortes orçamentários neste ano, o Future-se é parte de uma política criada para estrangular a educação pública, especialmente as universidades e institutos federais. Na prática, o programa nada mais é que uma estratégia para reduzir o papel do Estado quanto à garantia dos direitos sociais, incluindo do acesso universal à educação. Desta forma, as universidades federais que não aderirem ao projeto contarão com recursos públicos cada vez mais escassos, aumentando o abismo social que existe no país. O Future-se parece muito bom para ser verdade. E não é: nem bom, nem VERDADE. Fonte: APUFPR ...

SERVIÇO PÚBLICO
Por mês, Governo cria duas proposições – ou mais – para prejudicar servidores

É um assombro: em apenas oito meses, dezoito proposições anunciadas pelo Governo Federal e pelo Congresso Nacional afetam negativamente os servidores públicos federais – uma média de duas ou mais propostas ao mês. Os dados são do DIAP (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar). Justamente no momento em que se encontram bastante fragilizados – com o avanço da Reforma da Previdência e o projeto Future-se – negar ou diminuir ainda mais as conquistas do Estado Democrático de Direito é um golpe cruel contra o funcionalismo público. Prioridades da agenda governamental, essas proposições devem avançar com certa rapidez na Câmara dos Deputados no segundo semestre deste ano. Apresentadas de forma falaciosa como ferramentas de desburocratização e desempenho no serviço público, as medidas não passam de políticas reducionistas, de acordo com Paulo Vieira Neto, presidente da Associação dos Professores da Universidade Federal do Paraná (APUFPR): “Este é o traço mais marcante do atual Governo: suprimir ...

ATO
APUFPR convida docentes para o ato do Tsunami da Educação no dia 7

Uma grande onda de mobilização vai tomar conta das ruas do país no dia 7 de setembro em defesa das universidades federais. O Tsunami da Educação, organizado pela União Nacional dos Estudantes (UNE), é mais um passo no intenso processo de luta da sociedade pela educação pública. Não se trata apenas de defender mais investimento em educação: a mobilização, agora, é pela manutenção dos pilares mais básicos de qualquer projeto educacional para o país. O corte de 30% no orçamento das universidades, a extinção de milhares de bolsas de pesquisa e o programa Future-se são apenas uma faceta do desmonte da educação promovido pelo Governo Federal. Além da precarização estrutural das Ifes, o Ministério da Educação (MEC) foi tomado por um perigoso pensamento anticientífico, baseado principalmente na perseguição à criticidade e à diversidade de pensamento, aspectos fundamentais de uma educação de qualidade. Por isso, a APUFPR convida os docentes da UFPR para se somarem ...

APUFPR
APUFPR participa de seminário sobre o centenário da OIT que discutiu sobre o futuro do trabalho

Entre os dias 26 a 30 de agosto, Curitiba sediou o seminário O centenário da OIT e o futuro do trabalho em comemoração aos 100 anos da Organização Internacional do Trabalho (OIT). Fundada em 1919, a OIT tem como objetivo promover a justiça social no âmbito da questão trabalhista, garantindo o cumprimento das normas internacionais para promover oportunidades para que todos, homens e mulheres, tenham acesso a um trabalho decente em condições de liberdade, igualdade, dignidade e segurança. É formada por 186 Estados, sendo que o Brasil é um dos membros fundadores e participa da Conferência Internacional do Trabalho desde sua primeira reunião. O evento contou com 21 palestras gratuitas em diversos locais da capital paranaense, com temas como OIT e a liberdade sindical (que contou com a participação de Martin Hahn, diretor do escritório da Organização no Brasil), Diálogos sobre as relações sustentáveis no trabalho, Disrupção Tecnológica e o Futuro do ...

Voltar