Autor: Midias Abridor

APUFPR-Milton-Ribeiro.jpg
22 de junho de 2022

A corrupção está entranhada no governo Bolsonaro. Curiosamente, na pasta que mais foi atacada desde o começo da atual gestão: a Educação.

Não bastasse a sequência de ex-ministros despreparados e ideologicamente comprometidos com o extremismo, o governo fez do Ministério da Educação um centro de desvio de recursos e favorecimento a interesses escusos.

O ex-ministro Milton Ribeiro foi preso nesta manhã, assim como um dos pastores que, mesmo sem cargo, intermediava interesses políticos e pedia propina (inclusive, em barras de ouro) em troca de liberação de recursos do FNDE para prefeituras.

Segundo palavras do próprio Milton, o pastor atendia a “pedidos especiais” do presidente Bolsonaro. Agora que foram presos, terão muito a esclarecer para os brasileiros.

Esse não é o único escândalo de corrupção que deve ser investigado. Houve tentativa de compra de ônibus escolares superfaturados, esquemas com escolas fake e outras falcatruas recentemente divulgadas pela imprensa (sim, quem está descobrindo todas essas coisas é a imprensa).

É lamentável que um dos setores mais importantes para o país tenha se tornado fonte de corrupção e de troca de favores, ao mesmo tempo em que o governo reduz o orçamento para o menor patamar da década e retira recursos das universidades federais.

Tudo isso só comprova o que temos falado há tempos: para este governo, educação não é prioridade.

A guerra do governo Bolsonaro contra a educação não era apenas ideológica, era também para transformar o MEC em uma fonte de desvio de recursos, para enriquecimento ilícito de alguns ou para tentar ganhar apoio nas eleições presidenciais deste ano.

Deu ruim para o governo.

Agora, basta as autoridades terem vontade de aprofundar as investigações para descobrirmos mais esqueletos no armário do governo.

 

Fonte: APUFPR

festa-junina-apufpr.jpeg
21 de junho de 2022

Festa JuninaAlém de lutar pelos direitos dos docentes, nós também temos o compromisso de proporcionar momentos de bem-estar. Por isso, queremos convidar você para a Festa Junina da APUFPR, que será na próxima sexta-feira (24), no nosso Bar Doce Bar, a partir das 18h.

Teremos uma mesa de comidas e bebidas típicas, música e diversão. Não perca! Venha, traga sua família. Convide os colegas do seu Departamento.

 

Fonte: APUFPR

APUFPR-forum-permanente-das-licenciaturas-SITE.jpeg
21 de junho de 2022

Na próxima quinta-feira (23 ), a partir das 19h, o Fórum Permanente das Licenciaturas UFPR volta a se reunir e realiza reunião técnica online com grupos temáticos.

O evento é aberto a todos interessados e será pela plataforma Microsoft Teams, e contará com a participação do professor Ehrick Melzer representando a APUFPR.

Os quatro grupos temáticos disponíveis para inscrição são: Integralização da extensão nas licenciaturas da UFPR; Estágios obrigatórios e a relação universidade e escolas públicas da Educação Básica: entre o burocrático e o pedagógico; Políticas de ingresso, evasão e permanência e a participação estudantil nas licenciaturas da UFPR; e BNC formação de professores.

Para participar, indique qual grupo temático de sua escolha no seguinte link:

encurtador.com.br/ouxQZ

 

O link para a reunião é:

encurtador.com.br/bDOPW

 

Mais informações podem ser obtidas por e-mail: [email protected]

 

Fonte: APUFPR

APUFPR-assembleia-15-junho.jpg
20 de junho de 2022

Realizada em 15 de junho, a assembleia geral da APUFPR aprovou paralisação de um dia em 27 de junho, como parte das mobilizações dos servidores públicos federais em defesa de reajuste salarial e melhores condições de trabalho.

A mobilização segue o calendário nacional do movimento docente, que vem tentando articular as pautas dos professores junto às outras categorias do serviço público federal.

Como lembrou Paulinho Vieira, presidente da APUFPR, dados indicam que desde 2013 a perda real dos servidores federais foi de ao menos 45%, consideradas as altas na inflação e no poder de compra.

Além de aprovar o dia de paralisação, a assembleia também teve momentos de informe e de encaminhamento da escolha de delegados para o 65º CONAD, do Andes-SN, e da organização de uma assembleia comunitária na APUFPR.

Os docentes reunidos na assembleia não viram condições política para a entrada em greve por tempo indeterminado a partir de 27 de junho.

 

65º CONAD e assembleia comunitária

Na Assembleia, foram eleitos um delegado e dois observadores que representarão a APUFPR no 65º CONAD do ANDES-SN, que será realizado entre os dias 15 e 17 de julho, em Vitória da Conquista-BA.

O evento terá como mote “Retorno presencial com condições de trabalho e políticas de permanência para fortalecer a luta pela Educação pública e pelas liberdades democráticas”.

O caderno de textos que irá orientar os debates do CONAD pode ser acessado neste link.

A assembleia também aprovou a construção de uma assembleia comunitária junto com técnicos e estudantes da UFPR. A organização será feita em conjunto com o SINDITEST-PR, o DCE e outros coletivos estudantis.

Com isso, será possível articular as lutas em defesa da educação e da ciência, nesse momento decisivo pelo qual passamos.

 

Fonte: APUFPR

APUFPR-Mulheres-na-ciencia-destacada-site.jpg
15 de junho de 2022

Promovido pela APUFPR junto com o Observatório do Conhecimento na terça-feira (14), o evento “Papel das mulheres na Ciência e em cargos de poder” contou com a exibição do documentário “Ciência: luta de mulher” e com um debate muito rico sobre o tema.

Realizado na sede da APUFPR, o evento teve grande participação de docentes, autoridades, parlamentares e representantes de outras entidades.

Na sequência, Andréa Stinghen, vice-presidente da APUFPR, Mayra Goulart, vice-presidente da ADUFRJ e integrante do Observatório do Conhecimento, e Dayana Brunneto, professora da UFPR e do Movimento de Gênero – UFPR, conduziram o debate.

O evento terminou com queijos e vinhos servidos aos participantes.

Veja o vídeo:


 

Fonte: APUFPR

 

PARTICIPACAO_MAYTE.jpeg
15 de junho de 2022

Realizado no último dia 11 de junho, o Encontro com Amigos e Amigas da Escola Milton Santos celebrou 20 anos dessa escola agroecológica que é referência no Paraná e no Brasil.

O evento teve um debate sobre a experiência da escola, sediada em Maringá e mantida pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), e também um almoço com produtos da Reforma Agrária e uma atividade cultural.

Entre os participantes estavam João Flávio Borba e Antônio Kanova Júnior, membros da coordenação político-pedagógica da escola, e Ceres Luisa Hadich, da Direção Nacional do MST.

Representando a APUFPR, a diretora Maytê Bezerra participou do evento e do debate sobre a história e o futuro da escola.

 

A escola

Fundada em 10 de junho de 2002, a escola Milton Santos foi viabilizada por meio de uma parceria entre a prefeitura de Maringá, a Universidade Federal do Paraná e o MST, o que permitiu a utilização da área.

O local onde hoje está a escola estava abandonado e o terreno infértil, com o solo utilizado apenas para retirada de pedras para construção. Com o trabalho de assentados do MST, o solo foi plenamente recuperado com práticas agroecológicas.

Nesses 20 anos, a escola se constituiu como um espaço de produção do conhecimento voltado para a produção agroecológica, e promove cursos, capacitações e encontros para debater e fortalecer a produção sustentável de alimentos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: APUFPR

APUFPR-Assembleia_15_6_sites-1.jpg
13 de junho de 2022

Na próxima quarta-feira (15), a APUFPR realizará uma assembleia geral extraordinária, de forma online, com primeira chamada às 18h e segunda chamada às 18h30.

Seguindo deliberações da reunião do setor das IFES, realizada em 11 de junho, em Brasília, as seções sindicais deverão realizar debater em Assembleia a deflagração da greve no dia 27 deste mês. Portanto, apesar da decisão tomada na Assembleia dos docentes da UFPR no dia 16 de maio, a APUFPR está convocando novamente a categoria para decidir sobre essa questão.

Na Assembleia também serão eleitos um delegado e dois suplentes para o 65º CONAD do ANDES-SN, que será realizado de 15 a 17 de julho de 2022, na cidade de Vitória da Conquista (BA), sediado pela ADUSB Seção Sindical, com o tema central: “Retorno presencial com condições de trabalho e políticas de permanência para fortalecer a luta por Educação Pública e liberdades democráticas”.

Também está na pauta a realização de uma assembleia comunitária, que reunirá APUFPR, DCE e SINDITEST para debater as ações de enfrentamento contra os cortes orçamentários que colocam em risco o funcionamento da universidade.

Como participar

A assembleia será realizada por meio da plataforma Zoom, e as inscrições podem ser feitas no seguinte link:
https://us02web.zoom.us/meeting/register/tZAtfu-urz0vH9WpPI36_S-v9z1NCk_XQNtd

Um e-mail com o link de acesso à Assembleia será enviado diretamente pela plataforma Zoom. Quem não receber o e-mail de confirmação, pode entrar em contato com o WhatsApp (41) 99508-3760.

 

Fonte: APUFPR

APUFPR-Nem-a-chuva-impediu-a-manifestacao-em-defesa-da-educacao-e-da-ciencia-SITE.jpg
10 de junho de 2022

Nem mesmo o frio e as chuvas que atingiram Curitiba foram suficientes para tirar o ânimo das pessoas que ocuparam a Praça Santos Andrade em defesa da ciência e da educação na quinta-feira (9).

Organizado pela APUFPR, junto com outras entidades, o ato foi uma reação ao novo corte orçamentário realizado pelo governo de Jair Bolsonaro no último dia 27 de maio, que retirou R$ 3,2 bilhões da educação pública e R$ 3 bilhões da ciência.

 

“Sucateamento”

A vice-presidente da APUFPR, Andréa Stinghen, ressaltou os impactos do corte linear de 14,5% no orçamento de manutenção de todas as universidades federais, sobretudo na prestação de serviços, nos restaurantes universitários e até em pagamento de água, luz e telefone: “É o sucateamento da universidade pública brasileira (…) Cada vez mais a educação pública é deixada em segundo plano pelo desgoverno Bolsonaro”, afirmou.

As bandeiras e cartazes em defesa da universidade e da ciência fizeram companhia aos guarda-chuvas, e também ao apoio da população que circulava pela reunião.

Segundo Mariane Siqueira, do SINDTEST-PR, nossas universidades correm o risco de ter seu funcionamento comprometido. “Por isso estamos aqui, para dizer: basta de cortes na Educação”.

“Bolsonaro, pague o que nos deve”, resumiu o presidente da APUFPR, Paulinho Vieira.

Confira como foi o protesto no vídeo produzido pela APUFPR:

Fonte: APUFPR

APUFPR-Observatorio-do-Conhecimento-apresenta-documentario-SITE-destacada.jpg
9 de junho de 2022

Você já sabe que na próxima terça-feira (14), a partir das 18h30, a APUFPR estará promovendo uma atividade presencial junto com o Observatório do Conhecimento para debater o papel das mulheres na ciência e em cargos de poder?

O evento será realizado na sede da APUFPR, e você pode confirmar sua participação por meio do seguinte formulário:

https://forms.gle/JkwEUkh9Hun9v3Av5

 

Documentário e debate

A atividade contará com a exibição do documentário “Ciência: luta de mulher”, produzido pelo Observatório do Conhecimento.

A produção apresenta a trajetória e os depoimentos de quatro mulheres cientistas de diferentes áreas, que conversam sobre como é fazer e lutar pela ciência no país, abordando temas como carreira, desigualdades, raça e maternidade.

Na sequência, haverá debate com a participação da nossa vice-presidente, Andréa Stinghen, de Mayra Goulart, vice-presidente da ADUFRJ, e Dayana Brunneto, representante do Movimento de Gênero – UFPR.

Além da presença da nossa categoria, a discussão contará com a participação de outras entidades da educação, de lideranças feministas e de parlamentares que são comprometidos com a pauta da ciência e tecnologia.

 

Fonte: APUFPR


BOLETIM ELETRÔNICO


REDES SOCIAIS