Autor: Midias Abridor

quinta-21-assembleia-da-apufpr-discute-volta-as-atividades-presenciais-e-cortes-na-ciencia-e-na-educacao-site.jpg
18 de outubro de 2021

Quinta (21): assembleia da APUFPR discute volta às atividades presenciais e cortes na ciência e na educação

A APUFPR convoca todos os filiados a participarem de nossa próxima assembleia, que será realizada na quinta-feira (21), com primeira chamada às 15h e segunda às 15h30, de forma online, para debater sobre as condições de trabalho dos docentes no retorno às atividades presenciais, prevista para 2022.

Os seguidos cortes orçamentários implementados pelo governo de Jair Bolsonaro, além de colocar em risco o funcionamento das universidades federais, terão impacto também nas condições sanitárias e de segurança das instituições.

Além disso, o governo e o Congresso cortaram 92% do orçamento de 2021 do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), que seriam destinados, principalmente, ao Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT). Os valores foram destinados para 7 outros ministérios, para agradar aos políticos da base governista que poderão usar os recursos para fins eleitoreiros.

O outro ponto da Assembleia será a construção da pauta interna de reinvindicações dos docentes da UFPR. Neste cenário de grandes dificuldades, precisamos debater coletivamente sobre questões e problemas que afetam ao dia a dia dos docentes da UFPR.

 

Assembleia online

Assim como na última Assembleia, a reunião do dia 21 será feita pela plataforma ZOOM, que funciona em celulares e computadores. Recomendamos que o download do aplicativo seja feito antecipadamente: computadorGoogle Play e App Store (Iphone).

Os docentes precisam se inscrever antecipadamente por este link: https://us02web.zoom.us/meeting/register/tZMscOCvrTMoGdH3U5WkUqFXPwGiNYm8wPFI

Você receberá a confirmação por e-mail, enviado diretamente pela plataforma Zoom.

Quem não receber o link de acesso por e-mail imediatamente, deverá solicitá-la à secretaria da APUFPR pelos telefones (41) 99508-3760 e (41) 99981-7835.

Também vale dar uma verificada no LIXO ELETRÔNICO (para quem tem e-mail da UFPR) ou na caixa de SPAM (para quem tem outros e-mails, como o Gmail e Yahoo, por exemplo) para ver se a mensagem não foi parar ali.

 

Assembleia Geral Extraordinária dos docentes da UFPR

Data: quinta-feira (21)

Horário: primeira chamada às 15h e segunda chamada às 15h30.

 

Pauta

1) Informes;

2) Discussão sobre as condições de trabalho dos docentes no retorno às atividades presenciais em 2022;

3) Cortes no orçamento e na Ciência;

4) Construção da pauta interna de reivindicações dos docentes da UFPR;

5) Assuntos gerais.

 

Fonte: APUFPR

apufpr-nao-tera-expediente-na-segunda-18-e-na-terca-19-em-preparacao-ao-retorno-do-atendimento-presencial.jpg
15 de outubro de 2021

Na segunda (18) e na terça-feira (19), a APUFPR realizará atividades internas com toda a equipe de funcionários e, por isso, não haverá expediente nesses dois dias.

O curso de formação “Repensando a qualidade social do trabalho dos funcionários, com base no diálogo entre aspectos técnicos e dimensão política” vai durar o dia todo, com espaços para diálogos e atividades de qualificação para aprimorar a condução das atividades cotidianas do sindicato.

Com isso, a diretoria da APUFPR pretende melhorar ainda mais o atendimento aos docentes e o acolhimento às demandas da categoria.

Um dos temas será o retorno às atividades presenciais nas sedes do sindicato, com o cumprimento das normas sanitárias necessárias para garantir mais segurança enquanto durar a pandemia.

Já a partir de quarta-feira (20), a sede de Curitiba voltará ao atendimento presencial, das 9h às 18h. O mesmo ocorrerá nas subsedes a partir da quinta-feira (21).

Com vacinação massiva, cuidado, atenção, responsabilidade e respeito à ciência, vamos superando a crise sanitária.

 

Fonte: APUFPR

Live-da-APUFPR-na-segunda-8-debate-os-desafios-da-multicampia-na-UFPR.jpeg
15 de outubro de 2021

 

A APUFPR convida seus filiados e filiados, assim como toda a comunidade acadêmica, para uma conversa sobre multicampia na próxima segunda-feira (18), às 19h.

Nosso convidado é Renato Bochicchio, Diretor da Diretoria de Desenvolvimento e Integração dos Campi da UFPR (INTEGRA/UFPR), órgão responsável pela descentralização dos campis em diversos pontos do estado, considerando a sustentabilidade e as necessidades específicas de cada região.

A proposta da APUFPR é discutir com a comunidade acadêmica os desafios atuais da multicampia considerando, principalmente, os sucessivos cortes de gastos e o sucateamento progressivo das universidades federais.

A atividade é mais uma oportunidade de reflexão, formação e debate para a nossa categoria. A transmissão ocorrerá simultaneamente pelo Facebook e pelo Youtube da APUFPR.

Participe, traga seus questionamentos e suas contribuições, e convide seus colegas.

 

Fonte: APUFPR

Convite-Dia-D-Educacao.jpeg
15 de outubro de 2021

Convite - Dia D Educação

A Direção do Setor de Educação da UFPR, o Centro de Articulação das Licenciaturas e o Centro de Assessoramento Pedagógico convidam para o evento “Dia D Educação”, em comemoração ao dia das professoras e professores, com o tema “As atuais políticas curriculares no contexto da educação básica e da formação inicial e continuada de professores”, a ser realizado de forma remota, no dia 15 de outubro de 2021, conforme programação.

 

Dia D Educação

“ As atuais políticas curriculares no contexto da educação básica da formação inicial e continuada de professores”

 

Horário:
9:00 ÀS 11:30

Atividade:

-Abertura do evento

 -Mesa Temática:

“Interlocuções entre a formação inicial e continuada de professores”

Link:  https://youtu.be/jFwZeaE 7QEo

 

Horário:
14:00 ÀS 16:40

Atividade:
– Apresentação Cultural
– Mesa Temática: “A proposta de integralização da extensão na UFPR”

Link: https://youtu.be/F4W9aO 8e97M

 

 Horário:
18:30 ÀS 21:00

Atividade:

– Lançamento do E-book “Estágios de formação pedagógica e a relação universidade-escola: dilemas, desafios e perspectivas em tempos de pandemia”

 – Mesa Temática: “O Novo Ensino Médio e implicações na formação do professor”

Link: https://youtu.be/F4W9aO 8e97M

 

Saiba mais detalhes aqui.

Fonte: APUFPR

em-tempos-obscuros-educar-e-um-ato-de-coragem-e-ousadia.jpg
15 de outubro de 2021

❤ “A educação é um ator de amor e, por isso, um ato de coragem”. A frase de Paulo Freire é bastante apropriada não só para hoje, Dia dos Professores, mas para todos os dias dos educadores brasileiros.

👩‍🏫 Um ato de amor pela construção e difusão do conhecimento, pelo estudo – e, acima de tudo, pelos estudantes, que são o presente e o futuro de nosso país.

💪 Um ato de coragem diante não só da extrema responsabilidade que envolve o processo educativo, mas também frente os desafios cada vez maiores de um país governado pelo negacionismo, pela mentira e por uma visão que combate o conhecimento e a democracia.

👏 Nessa data, a APUFPR homenageia todos professores e professoras do Brasil, por seu amor à educação e por sua e coragem: parabéns, docentes, sigamos juntos na luta!

Marque-o-motivo-para-apoiar-a-Reforma-Administrativa.png
14 de outubro de 2021

Marque o motivo para apoiar a Reforma Administrativa:

😒 Quem apoia a Reforma Administrativa (PEC 32/2020), automaticamente apoia uma série de barbáries que ela vai promover no serviço público e que afetarão profundamente a sociedade.

A PEC 32/2020 vai acabar com a estabilidade dos servidores. Consequentemente, isso vai⤵

✅ Aumentar o assédio moral e sexual no Estado: os servidores e as servidoras que não se submeterem aos abusos de suas chefias poderão ser perseguidos e até demitidos, por meio de avaliações fraudulentas de “produtividade”.

✅ Aumentar a corrupção: as portas do Estado serão abertas para todo tipo de desmando (como rachadinhas de salários, desvios de verbas públicas, contratação de laranjas, terceirização generalizada, esquemas, conchavos etc.), e o Executivo ganhará superpoderes, para que governos não sejam fiscalizados.

✅ Lotear o serviço público: mais de 1,1 milhão de cargos poderão ser ocupados por pessoas sem concurso público e sem capacitação para a função, mas que estarão lá apenas para dividir o salário com seus padrinhos políticos, e atender os interesses deles.

✅ Deixar o povo sem atendimento: a iniciativa privada teria prioridade sobre os serviços públicos. Consequentemente, o foco seria na busca pelo lucro, e não as necessidades da população. Além disso, o número de servidores concursados será ainda mais reduzido, embora a população e suas demandas continuem crescendo.

💔 Ou seja, com a PEC 32/2020, não há alternativa boa para o povo. Por isso, esse projeto precisa ser barrado, em defesa do serviço público, que é para todos.

#ServiçoPúblico #ÉPublico #ÉpraTodos #ValorizeOServidor #ReformaAdministrativaNão

Cortes-colocam-em-risco-retorno-as-atividades-presenciais-nas-universidades-federais.jpg
8 de outubro de 2021

Cortes colocam em risco retorno às atividades presenciais nas universidades federais

Apesar do lento avanço da vacinação (estratégia política do governo de Jair Bolsonaro que causou a morte de centenas de milhares de brasileiros), a redução da média móvel diária de mortes por Covid-19 começa a apontar as possibilidades de controle da pandemia.

Com isso, as universidades federais começam a debater sobre as condições para o retorno das atividades presenciais em 2022, especialmente porque as instituições ainda irão sofrer os impactos da redução orçamentária.

Sofrendo sucessivos cortes de orçamento nas gestões de Michel Temer e Jair Bolsonaro, as universidades federais já estavam em grande dificuldade para fechar suas contas antes da pandemia. Em 2022, a situação tende a piorar.

 

Portas fechadas

O Projeto de Lei Orçamentária de 2022 (PLOA), enviado ao Congresso pelo Governo Federal, não repõe os valores das perdas orçamentárias que as universidades federais tiveram nos últimos anos.

Os recursos, que já eram insuficientes, serão ainda mais escassos, ameaçando a manutenção das atividades, já que em alguns casos não haverá recursos sequer para arcar com despesas como energia, água e limpeza.

Com a suspensão das atividades presenciais em 2020 e 2021, houve diminuição de gastos com estrutura e manutenção, mas, com o retorno às atividades presenciais, esses gastos voltarão ao patamar ‘habitual’ – só que num contexto pior, por causa dos aumentos das tarifas.

Sem a reposição orçamentária, algumas universidades federais correm o sério risco de fechar as portas.

No dia 29 de junho, fizemos uma live para tratar especificamente da situação da UFPR. Reveja aqui.

Mesmo que a função social das universidades públicas tenha ficado ainda mais evidente durante a crise sanitária, quando sua rede 50 hospitais e suas pesquisas científicas foram fundamentais para minimizar os impactos da pandemia no Brasil, o governo Bolsonaro continua demonstrando falta de compromisso com a educação e com a ciência.

 

Cortes no orçamento

Os cortes são constantes e muito significativos. O orçamento discricionário das universidades federais proposto no PLOA 2022 é de R$ 5,134 bilhões, um valor 15,3% menor do que em 2019, primeiro ano de Bolsonaro no poder (mas com o orçamento aprovado ainda no governo Temer).

O governo de Jair Bolsonaro valoriza ainda menos a educação do que o governo Temer.

 

Cortes colocam em risco retorno às atividades presenciais nas universidades federais

 

Em 2021, o orçamento foi de R$ 4,512 bilhões, um dos menores patamares da última década e 25,5% menos do que foi gasto em 2019. Ou seja, em apenas dois anos o Governo Federal chegou a cortar um quarto das verbas das universidades federais!

Além dos números serem menores, não podemos esquecer que o fracasso do atual governo também tem grande impacto no aumento da inflação e do custo de vida nos últimos anos. A universidade é afetada duplamente.

Para que o orçamento discricionário do ano que vem fosse equivalente ao de 2019, seria necessário elevá-lo para R$ 6,922 bilhões. Muito longe do que o governo está propondo.

E também não já previsão de reajuste salarial para servidores públicos federais, ou seja, o governo de Jair Bolsonaro mantém o congelamento de salários, e isso também vai exigir de nós muita luta para ser revertido.

Enviado ao Congresso em 31 de agosto, o PLOA 2022 está em tramitação e ainda pode ser modificado.

Enquanto sucateia as federais e deslegitima a ciência, as únicas ações tomadas pelo Governo Federal na Educação são para aparelhar as instituições para fins políticos e eleitorais, difundir mentiras e ódio sobre universidades e professores e destruir os serviços públicos no Brasil.

 

Fonte: APUFPR

244377002_290209342674000_6954262167550211381_n.jpg
7 de outubro de 2021

Com apoio da APUFPR, lançamento de sala em homenagem a Paulo Freire em Jandaia do Sul terá premiada peça teatral online gratuita. Garanta seu ingresso virtual!

Como parte do evento online de lançamento da Sala de Prática Pedagógica Paulo Freire Centenário 1921-2021, no campus Avançado de Jandaia do Sul da Universidade Federal do Paraná (UFPR) no dia 19 de outubro, a APUFPR está apoiando financeiramente a exibição de uma peça de teatro sobre a vida e a obra do “Patrono da Educação no Brasil”.

Disponível gratuitamente para as 150 primeiras pessoas que se inscreverem clicando neste link, a inovadora peça “Paulo Freire: andarilho da utopia” – que é transmitida de forma online pela plataforma Zoom, começa às 20h30, fechando a sessão de inauguração da sala, que terá início às 19h.

Por acreditar que a cultura é também uma forma de luta na construção de uma sociedade mais humana e solidária, o apoio da APUFPR é um incentivo para que a comunidade acadêmica possa ter acesso sem custos às importantes reflexões que são necessárias no momento atual do país.

Além disso, o apoio faz parte da valorização e do incentivo às atividades dos diversos campi da UFPR, para que nossa comunidade possa atuar de forma mais integrada.

 

Sala Paulo Freire

Por mais que seja frequentemente difamado pelo governo Bolsonaro e por seus apoiadores extremistas, que sequer conhecem sua obra, Paulo Freire foi novamente celebrado no mundo inteiro em setembro passado, mês em que completaria cem anos.

Por conta disso, um coletivo de onze servidoras e servidores do Campus Avançado de Jandaia do Sul propôs, como homenagem, o batismo da nova sala de práticas pedagógicas com o nome do educador. A proposta foi aprovada pelo Conselho Diretor da unidade.

Além da peça de teatro, o evento contará com a divulgação de uma obra de arte especialmente produzida para a ocasião. Docentes da UFPR de Jandaia encomendaram e financiaram a criação de uma obra inédita em homenagem a Paulo Freire, que foi produzida pela artista Bianca Mol e será presenteada à instituição.

O evento estava agendado para setembro, mas precisou ser remarcado em função das avarias sofridas pelo campus em função de uma forte chuva.

 

Andarilho da utopia

Indicada ao prêmio Shell de 2019 na categoria inovação, a peça “Paulo Freire: o andarilho da utopia” foi escrita por Junio Santos e é protagonizada por Richard Riguetii. Suas cerca de 210 apresentações online já tiveram aproximadamente 60 mil espectadores.

Todas as sessões são apresentadas de forma remota pela plataforma Zoom (e que você precisa baixar em seu celular ou computador). Logo após a peça acontece uma roda de conversa com os realizadores do espetáculo teatral, sobre a obra de Paulo Freire.

Confira a programação completa do evento:

Data: 19 de outubro

Cerimônia de Batismo da Sala de Prática Pedagógica Paulo Freire Centenário 1921-2021

Horário: 19h

Live no canal da UFPR Jandaia do Youtube (acesso aberto)

20h30: Sessão Teatral Exclusiva – Paulo Freire, o andarilho da utopia

Plataforma Zoom / Sympla (mediante inscrição)

21h45: Bate-papo com os realizadores do espetáculo teatral

 

Fonte: APUFPR

Reforma-Administrativa-quer-acabar-com-o-que-ja-esta-em-falta.png
7 de outubro de 2021

O governo Bolsonaro sabe disso, e ainda culpa os servidores por esses problemas, para conseguir aprovar a PEC 32/2020.

🤥 Para aprovar a Reforma Administrativa (PEC 32/2020), o governo Bolsonaro mente que há excesso de servidores no serviço público brasileiro. Mas quem precisa de atendimento sabe que a realidade é outra.

Por aqui, apenas 12% dos trabalhadores no Brasil atuam no serviço público.

📌 Estamos bem abaixo de 18%, que é a média de servidores nos países que fazem parte da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) – entidade que reúne as nações responsáveis por 62% do Produto Interno Bruto (PIB) de todo o planeta.

📌 E também estamos abaixo da média de países de tradição liberal, como os Estados Unidos. Lá, 15% dos trabalhadores são servidores – ou seja, nada de Estado mínimo.

No Brasil, a falta de servidores o suficiente para atender as demandas da população gera uma série de problemas no serviço público, como aumento das filas de espera, queda na qualidade do atendimento, e vários outros.

👿 O governo Bolsonaro sabe disso, e ainda culpa os servidores por esses problemas, para conseguir aprovar a PEC 32/2020.

Não caia nas mentiras dele! A Reforma Administrativa vai destruir o serviço público e piorar o sofrimento do povo.

#ServiçoPúblico #ÉPublico #ÉpraTodos #ValorizeOServidor #ReformaAdministrativaNão

 

live-da-apufpr-recebe-pedro-hallal-epidemiologista-perseguido-por-bolsonaro-por-mostrar-que-poderiamos-ter-evitado-centenas-de-milhares-de-mortes-na-pandemia.png
5 de outubro de 2021

Dando continuidade à organização de debates sobre temas que impactam a realidade brasileira atual, a APUFPR organizará mais uma live no dia 13 de outubro com o tema “Universidade e Pandemia”. Teremos como convidado especial um dos principais especialistas na pandemia de Covid-19 no Brasil, o epidemiologista Pedro Hallal, ex-reitor da UFPel e coordenador da Epicovid-19, um dos estudos mais completos sobre os impactos da doença aqui no Brasil.

A transmissão começa às 19h no Facebook (clique na estrelinha para ativar o lembrete) e no YouTube (clique no sininho para receber o lembrete) da APUFPR.

Teremos também a participação do docente Emanuel Maltempi de Souza, do Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular, que é presidente da Comissão de Enfrentamento e Prevenção à Covid-19 da UFPR e um dos pesquisadores responsáveis pela vacina que está sendo desenvolvida pela nossa Universidade. A mediação será feita pela professora e pesquisadora Andréa Stinghen, vice-presidente da APUFPR.

 

Perseguição

Professor da Escola Superior de Educação Física e dos programas de pós-graduação em Educação Física e Epidemiologia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), onde foi reitor entre 2017 e 2020 (o mais jovem a dirigir uma instituição de ensino superior federal no Brasil), Pedro Rodrigues Curi Hallal é colunista da Folha de S.Paulo e editor-chefe do Journal of Physical Activity and Health.

Hallal vem sendo perseguido pelo presidente Jair Bolsonaro e por sua base extremista por causa dos resultados reveladores do Epicovid-19, que mostrou que 4 a cada 5 mortes por Covid-19 poderiam ter sido evitadas se o Brasil tivesse mantido a média mundial, mas que isso só teria acontecido se o governo brasileiro tivesse agido completamente diferente na condução da pandemia.

Em seu depoimento durante sessão da CPI do Genocídio (CPI da Pandemia) no Senado, Hallal mostrou que poderíamos ter evitado centenas de milhares de mortes se houvesse rastreamento e testagem em massa, se o governo não tivesse atrasado a aquisição e desestimulado a vacinação, se não tivesse desestimulado o uso de máscara, se não tivesse adotado a abordagem clínica no lugar da abordagem epidemiológica, além da ausência de liderança do Ministério da Saúde e, principalmente, a falta de uma comunicação unificada – que estimulasse o uso de máscaras, isolamento e proteção, por exemplo.

Por ter criticado Jair Bolsonaro durante uma live na UFPel, Hallal foi novamente perseguido pelo governo e pela Controladoria Geral da União (CGU) – estimulada por um deputado federal bolsonarista (Bilbo Nunes, que gosta de alugar BMW de uma empresa que pertence a um assessor presidencial).

As perseguições a Hallal foram peças importante no levantamento dos casos de perseguição do governo de Jair Bolsonaro contra críticos e opositores, e que depois culminaram no Projeto de Lei (PL) 2.108/2021 que enterrou a Lei de Segurança Nacional (LSN, um entulho da ditadura que voltou a ser usado por Bolsonaro). O PL foi fruto de outro projeto que estava parado desde 1991, e incluiu na legislação crimes contra o Estado Democrático de Direito.

Quer saber mais sobre a atuação dos nossos convidados e conversar sobre o papel das universidades públicas nesse cenário atual? Então anote na sua agenda a nossa live do dia 13 de outubro e participe! Sua contribuição será muito importante!

 

Fonte: APUFPR


BOLETIM ELETRÔNICO


REDES SOCIAIS