APUFPR realiza debate sobre ecologia com pesquisador norte-americano

APUFPR realiza debate sobre ecologia com pesquisador norte-americano

2018-12-03T11:12:59+00:0026 maio 2011|

A Associação dos Professores da UFPR realizou, no último dia 13 de abril, o seminário Sociedade, Ecologia e Marxismo – Um projeto para a emancipação. Cerca de 150 pessoas – entre docentes, estudantes, servidores técnico-administrativos da Universidade e membros da comunidade externa – participaram do evento para saber mais sobre os estudos do professor norte-americano John Bellamy Foster, principal palestrante do seminário.

Foster é professor de sociologia da Universidade de Oregon, nos Estados Unidos, estuda a relação entre o homem e a natureza e é  a principal referência internacional sobre o estudo da ecologia no campo marxista. É autor de diversos livros sobre o tema, como “A Ecologia de Marx: Materialismo e Natureza”; “A revolução ecológica: Fazendo as pazes com o Planeta” e “Ecologia contra o Capitalismo”.

Em seus estudos, Foster procura provar que, ao contrário do que supostamente se pensa sobre a obra do fundador do materialismo histórico-dialético, Karl Marx foi um autor extremamente preocupado com a relação entre o homem e a natureza. Marx teria sido um defensor de que é preciso superar o modo de produção capitalista para que essa relação entre homem e natureza seja feita de modo racional, respeitando-se os limites dos recursos naturais.

“A única maneira de lidar com o problema por inteiro é examinar as raízes, lidar com a sociedade capitalista em si. Eu defendo a ideia de um ‘proletariado ambiental’, em que as lutas da classe trabalhadora vão se misturar com as lutas ecológicas, como já acontece em vários lugares do mundo”, argumenta Foster.

Para o pesquisador, a forma como hoje é organizada a produção dos bens necessários a vida é origem dos grandes problemas ambientais, como aquecimento global, mudanças climáticas e extinção de espécies. O trabalho – entendido pela tradição marxista como a atividade pela qual o homem transforma a natureza para obter dela os produtos necessários para sua sobrevivência – quando submetido à produção privada de mercadorias separa o homem de seu metabolismo com a natureza e subordina sua exploração a lógica do lucro.

“Uma revolução ecológica vai passar por uma revolução sociológica. Nós não podemos ser ‘verdes’ se nós não formos ‘vermelhos’ e não podemos ser ‘vermelhos’ sem sermos ‘verdes’. Não podemos ter nenhuma visão do socialismo que não tenha a ver com sustentabilidade e igualdade”, defende.

O evento

Além da presença do conferencista John Bellamy Foster, o seminário contou também com a participação do professor da Universidade Federal Fluminense (UFF) Mario Duayer. O docente contextualizou e debateu de forma crítica as contribuições de Foster para os estudos sobre ecologia e marxismo.

Ao final do evento, a presidente da APUFPR-SSind, Astrid Avila, destacou o compromisso da entidade em realizar debates que abordem o papel da universidade e da categoria docente na sociedade.

“Entendemos que o nosso papel enquanto sindicato é fomentar o debate com a perspectiva de construir possibilidades de transformação social. Acreditamos que tratar de um tema como ecologia nos recoloca com muita clareza os limites da sociabilidade em que vivemos e situa que a nossa luta não é pela superação do trabalho, mas por outra condição social em que o trabalho não sirva para retirar a vida e não ameace a existência do planeta”, pontua.

Para a diretoria da APUFPR, a realização do seminário foi bem sucedida, pois conseguiu reunir um número significativo de pessoas para debater o tema com qualidade e detalhamento necessários. “O evento foi de grande sucesso, tivemos uma participação bastante expressiva e o nível da discussão também foi bem qualificado. O próprio Foster expressou que se surpreendeu com o nível sofisticado das perguntas feitas pela plateia. Avalio que, dos pontos de vista qualitativo e quantitativo, nós tivemos um evento de grande sucesso”, completa o primeiro tesoureiro da APUFPR-SSind, professor Fabiano Dalto.

O seminário sobre Sociedade, Ecologia e Marxismo contou ainda com o apoio dos Programas de Pós-Graduação em Educação e em Políticas Públicas, do Setor de Educação Profissional e Tecnológica (SEPT) e dos Programas de Educação Tutorial (PETs) de Economia, Educação Física e Informática.