APUFPR participou de debate sobre o Future-se na Casa da Resistência

4 de novembro de 2019
apuf-debatenacasadaresistencia-destaquesnovo.jpg

 

As universidades federais agonizam com a agenda do Governo Federal. Uma das estratégias de enfrentamento diante dessa conjuntura é promover ações de conscientização e ocupar espaços para informar. Dessa forma, o presidente da APUFPR, Paulo Vieira, participou do “Debate para a resistência: a defesa das universidades públicas”, na quarta-feira (30), na Casa da Resistência.

Para Paulo Vieira, as ações do sindicato têm o objetivo de conscientizar à sociedade sobre as ameaças do Future-se. “A rejeição ao projeto do governo tem crescido em todo país, a maioria das universidades e institutos federais criticam o programa. Nós precisamos cada vez mais ocupar espaços e informar”.

Nos últimos dias o Future-se, também é chamado de “Privatize-se”, foi tema (29) da Comissão Especial sobre as Despesas de Instituições Federais de Ensino (PEC 24/19). “A discussão está acontecendo em todas as esferas, porque as universidades e institutos federais têm suas pesquisas ameaçadas”, explica o presidente da APUFPR.

Durante o debate um dos consensos é que há necessidade de grandes mobilizações em defesa da educação pública. Até o momento, 35 das 63 universidades federais (55,5%) rejeitaram o projeto de alguma forma e 28 já recusaram a adesão, com posicionamento oficiais de seus Conselhos Universitários, outras 7 que ainda vão concluir um documento, mas criticam o Future-se.

Você sabia?

::O Future-se é um programa do Governo Federal que pretende tirar a autonomia das universidades;

::Também pretende fazer com que Organizações Sociais (OS, que são entidades privadas) administrem as gestões das instituições federais de ensino;

:: Pesquisas passariam a ser determinadas por financiadores, atendendo interesses particulares;

:: O programa acabaria com os concursos públicos. Docentes só seriam contratados pelas Organizações Sociais.

Fonte: APUFPR


BOLETIM ELETRÔNICO


REDES SOCIAIS