19M foi marcado por atos do Dia Nacional de Luta e aula de Democracia com Marilena Chauí

Sindsaude-pr-19M-foi-marcado-1-scaled.jpg?fit=1200%2C800&ssl=1

Uma aula de democracia.

Foi assim que o presidente da APUFPR, Paulinho Vieira, definiu a fala da filósofa e escritora Marilena Chauí (USP), na noite de quarta-feira (18) durante a Aula Inaugural do Setor de Ciências Humanas (SCH) da UFPR, que teve o apoio do sindicato e foi incluída também nas atividades locais do 19M, o “Dia Nacional de Luta: A Educação Precisa Resistir”, convocado pelo ANDES-SN.

A APUFPR instalou um telão na Praça Santos Andrade para proporcionar à população curitibana uma oportunidade de ouvir as análises de Marilena Chauí, e espalhou grandes faixas em diversas unidades da UFPR para dar ainda mais visibilidade à luta.

Ao longo do dia, atos foram realizados em diversos espaços da universidade, inclusive nos campi avançados.

Em todo o país, mobilizações foram realizadas em defesa da educação pública de qualidade, da vacinação ampla e gratuita, e do SUS; contra os cortes nos orçamentos e a Reforma Administrativa; e por comida no prato de todos os brasileiros.

 

Contra o autoritarismo

Para Paulinho Vieira, toda a movimentação do 19M foi muito importante para aproximar a população paranaense da Universidade, mostrando sua contribuição para o desenvolvimento de toda a sociedade.

A partir da construção desse diálogo, o presidente da APUFPR acredita que é possível transformar a consciência das pessoas em uma força a favor da Democracia, para “enfrentar tudo que está sendo negado nesta época marcada pelo despotismo e pela escuridão pela qual estamos passando”.

“Uma força política que vai nos levar adiante na nossa resistência, até o momento em que a universidade volte a ser respeitada por todos. Até que as pessoas compreendam o valor da cultura, da ciência e da Democracia no Brasil”, completou.

 

Compreensão da realidade

Marilena Chauí é considerada, provavelmente, a filósofa mais reconhecida do Brasil na atualidade, e sua presença marcante trouxe análises cruciais sobre o momento pelo qual passa nosso país. Você pode assistir a aula inaugural do SCH aqui.

Para a diretora administrativa da APUFPR, Maria Madselva Feiges, as contribuições de Marilena Chauí serão muito importantes para a construção das lutas contra o retrocesso que está sendo imposto pelo Governo Federal às universidades públicas e à educação no geral, à saúde pública, à ciência, à cultura e ao lazer. Para ela, todos esses aspectos constituem as dimensões humanas.

“A nossa luta se torna maior ainda. É nosso papel, na Universidade pública – na formação de todas as pessoas-, lutar pela ciência, pela saúde e pela vida, principalmente nesse momento de combate à pandemia”, finalizou Madselva.

Fonte: APUFPR


BOLETIM ELETRÔNICO


REDES SOCIAIS