Governo publica decreto que reconduz Ricardo Marcelo ao cargo de reitor da UFPR

Decreto-nomeação-ricardo-marcelo-2020.jpg

Foi publicado na manhã de hoje (10) no Diário Oficial da União o decreto, assinado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, e pelo ministro da Educação, Milton Ribeiro, que reconduz o professor Ricardo Marcelo Fonseca ao cargo de reitor da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Com isso, fica confirmada a vontade da comunidade acadêmica da instituição que votou majoritariamente na Chapa 2, que era composta por Ricardo Marcelo e Graciela Inez Bolzon de Muniz, durante a consulta à comunidade acadêmica da instituição. A chapa recebeu 91,11% dos votos válidos de docentes, estudantes e servidores técnico-administrativos (83% dos votos na média ponderada), no processo que teve recorde de participantes (17.018 votantes).

Os nomes de Ricardo Marcelo e Graciela Bolzon também foram indicados pelo Conselho Universitário da UFPR para encabeçar a listra tríplice que foi enviada para o Ministério da Educação (MEC).

Com isso, a UFPR se livra do golpe dos setores oportunistas que desejavam que a Reitoria da UFPR tivesse uma gestão comandada por pessoas que não foram escolhidas pela comunidade.

Em todo o Brasil, o presidente nomeou reitores-interventores em 19 instituições federais de ensino superior.

Garantir a democracia na UFPR foi uma das principais bandeiras da APUFPR neste ano, porque sabíamos que os tempos seriam ainda mais duros, caso o governo impusesse uma gestão sem o respaldo da comunidade universitária da nossa instituição e que servisse apenas para que o próprio governo conseguisse implementar projetos como o rejeitado Future-se.

Em maio, lançamos a campanha “Reitor-interventor. Esse passado não pode voltar!”, alertando sobre os riscos de uma intervenção na UFPR (perigo confirmado, inclusive, pela Medida Provisória 979, publicada em junho, que dava ao MEC poderes supremos para nomear interventores).

Em agosto, lançamos a campanha “Eleições para Reitoria da UFPR com Democracia e autonomia”, incentivando a comunidade a participar conscientemente do processo.

Além disso, junto com o DCE e Sinditest-PR, conduzimos a Comissão Paritária de Consulta (CPC) que conduziu todo o processo de votação da comunidade. Para a APUFPR, a Democracia é inegociável.

Em relação à gestão da Reitoria, continuaremos buscando o diálogo porque temos muitas pautas a serem superadas. Da mesma forma, continuaremos mantendo nossa atuação com autonomia, defendendo os interesses e os direitos dos docentes da UFPR, como temos feito até aqui (e que tem gerado muitos resultados positivos para a nossa categoria).

 

Fonte: APUFPR


BOLETIM ELETRÔNICO


REDES SOCIAIS