Os 107 anos da UFPR e a luta pela universidade pública e gratuita

site_novo-3.jpg

No dia 19 de dezembro de 2019, a Universidade Federal do Paraná (UFPR), primeira universidade do Brasil, completa 107 anos. Trata-se de uma grande oportunidade para reconhecer o papel fundamental da instituição para o estado do Paraná e para o Brasil.

A comemoração, no entanto, se dá em um momento delicado não só para a UFPR, mas para toda a educação superior pública do país. O ano de 2019 foi um dos períodos mais turbulentos para aqueles que se dedicam cotidianamente para garantir a excelência das universidades federais.

Logo no início do governo Bolsonaro, os cortes de 30% no orçamento das instituições federais de ensino superior (Ifes) geraram um clima de incerteza e insegurança entre a comunidade acadêmica. Estudantes, técnicos e docentes tomaram as ruas em grandes mobilizações contrárias a esse desmando, revertido posteriormente graças à pressão política e ao apoio da população às universidades.

Semanas depois, o governo divulgou o seu plano para as universidades federais, expresso no Future-se. O programa, que cede a administração das instituições à iniciativa privada por meio de Organizações Sociais (OS), representa a diluição da função pública da educação superior. O objetivo é claro: fazer com que elas sirvam mais a interesses particulares e menos à população. A resistência ao programa deve seguir forte em 2020.

Na ciência, os retrocessos ficaram por conta do corte indiscriminado de bolsas de pesquisa. Milhares de mestrandos e doutorandos tiveram suas bolsas suspensas de maneira desumana, afetando diretamente projetos de pesquisa fundamentais para a sociedade brasileira. Capes e CNPQ foram duramente atingidas, com reflexos em toda a cadeia de produção científica brasileira.

Com o Decreto 9.991/2019, o governo Bolsonaro criou uma série de restrições ao afastamento de servidores para a qualificação acadêmica. Em médio e longo prazo, a medida deve atingir frontalmente a excelência das universidades federais, responsáveis por mais de 95% de toda a pesquisa científica desenvolvida no país.

Como pano de fundo de todos os retrocessos, setores políticos descompromissados com a democracia e com a educação protagonizaram uma vergonhosa campanha de difamação contra as universidades. A maior “autoridade” da Educação no país, o ministro Abraham Weintraub, foi um dos maiores disseminadores de ataques e mentiras sobre as instituições e os docentes. Não por acaso, está sendo processado por inúmeras entidades.

Diante de tantos retrocessos, a celebração de mais um ano de existência da UFPR deve se dar em tom de luta e resistência. Em nome dos docentes, a APUFPR reafirma que seguirá atuando cotidianamente para proteger a UFPR e preservar o caráter público, gratuito e democrático das universidades federais brasileiras.

Sessão pública do Conselho Universitário celebra aniversário da UFPR

O Conselho Universitário (Coun) da UFPR realizou ontem (11), uma sessão pública no Teatro da Reitoria para celebrar os 107 anos de existência da UFPR. O evento reuniu a comunidade acadêmica, egressos e admiradores da instituição para uma série de atividades em homenagem à universidade mais antiga do Brasil.

Fonte: APUFPR


BOLETIM ELETRÔNICO


REDES SOCIAIS