Além das 8: nova série da APUFPR mostra que docentes não dão apenas aula (diferentemente do que afirma o ministro)

apufpr-alemdas8-sitenovo.jpg

Quem é professor sabe bem que o exercício da docência é composto por ações formativas complexas que vão muito além das quatro paredes da sala de aula.

Mesmo assim o ministro da Educação, Abraham Weintraub, lançou-se em mais uma nova empreitada: jogar a população contra os professores federais, fazendo as pessoas acreditarem que os docentes não trabalham – ou trabalham menos do que deveriam.

Em sua conta de Twitter, fonte prioritária de divulgação, o ministro publicou: “Da missa você não sabe a metade. Professor Federal precisa dar apenas 8 horas de aula por semana. Preciso do apoio de vocês para enfrentar as estruturas.”

“Vocês”, no caso, é a parcela da população para quem ele sempre direciona seu discurso em busca de apoio, reforçando a ideia do “nós – do bem – contra eles – do mau”.

Em entrevista à Rádio Jovem Pan, parceira de primeira hora na divulgação da visão estreita do governo, Weintraub complementou o pensamento: docentes em Dedicação Exclusiva receberiam salários equivalentes a R$140 mil por mês já que, segundo ele, esses professores deveriam ministrar 252 dias de aula por ano, com 8 horas de aula por dia.

Ele sabe que o trabalho do docente universitário federal não se resume apenas à sala de aula. Pesquisa, extensão, formação e atividades administrativas são parte do dia a dia de qualquer docente. Mas para ele isso não importa. O discurso faz parte da linha de atuação do Governo Federal, que constantemente cria retóricas voltadas para desacreditar as universidades federais.

Uma das missões da universidade pública é promover atividades que realizem intervenções positivas na sociedade e aproximem a comunidade externa, ajudando no desenvolvimento de inúmeras áreas prioritárias para o país e para a população.

Influenciadas pelo senso comum e pela a narrativa construída pela mídia tradicional e pelo governo, muitas pessoas não têm ideia da importância do tripé ensino, pesquisa e extensão para melhorias que afetam áreas essenciais como saúde, segurança pública, agricultura, transportes, urbanismo, saneamento básico, cultura, esportes e a própria educação.

É aí que entra a importância de a universidade pública e dos os membros de sua comunidade difundirem o que está sendo feito de verdade dentro das instituições. Por isso, a APUFPR está lançando a nova série Além das 8, que irá retratar os projetos de pesquisa e de extensão que são desenvolvidos na UFPR, e que estão gerando mudanças positivas na sociedade.

Os docentes irão mostrar que o trabalho da categoria vai além das 8 horas de aula por semana (citadas de forma tacanha pelo ministro).

Os programas serão veiculados regularmente no canal do sindicato no YouTube, no site e nas redes sociais (Facebook e Instagram) da APUFPR, e também serão transmitidos na UFPR TV.

Cada episódio irá permitir que os espectadores conheçam o funcionamento de projetos de extensão ou de pesquisa coordenados por docentes da Universidade, além de espaços da UFPR onde são desenvolvidas tecnologias de ponta, e compreendam que quando uma instituição de ensino superior é pública, o retorno de suas atividades melhora a vida de todos – inclusive de quem não estuda ou trabalha nela.

Como participar?

Se interessou? Coordena algum projeto que gostaria que fosse tema da série? Então mande uma mensagem pelo WhatsApp para o número (41) 98780-4845, com seu nome e departamento, e conte um pouco sobre os trabalhos que estão sendo desenvolvidos!

Participe e contribua para que possamos dar visibilidade e mostrar toda a relevância social das universidades públicas brasileiras!

Fonte: APUFPR


BOLETIM ELETRÔNICO


REDES SOCIAIS